Orgulho namoro

Porém, o orgulho no sentido de aumentar o próprio valor e diminuir o do outro é realmente a força mais destrutiva que existe para qualquer tipo de relacionamento, amoroso, amizade ou familiar. Nada de bom sai daí. Apenas cria abismos e espinhos. Todos sofrem, mas o orgulhoso é o que mais sofre porque sabe que basta uma atitude positiva ... @ossaboresdomundo (@ossaboresdomundo) has created a short video on TikTok with music Pumped Up Kicks(Bridge & Law Remix). Amor é amor! 🌈 #lovewins #loveislove #orgulho #casallgbt #amor #casal #namoro #namorados #gaycouple #gaybrasil #preconceito #lutalgbt #arcoiris #gays Bernardo Ricardo 39 anos ... O orgulho pode não só impedir que um relacionamento comece, mas também destruir um já existente. O problema do orgulho vem quando o homem ou a mulher ficam egoístas demais e não cedem, mesmo estando errados. O relacionamento, que antes era prazeroso, vai se tornando seco, sem vida. Do remorso ao perdão há uma pequena distância, mas o espaço é grande o bastante para residir o orgulho. Sentimento este que nos tentará convencer de que o ato de se desculpar ou reconhecer seu erro é atitude dos fracos. O orgulho mata pessoas e sentimentos. Por outro lado, infelizmente, há pessoas que não aceitam nossas desculpas. O orgulho é o grande ladrão da felicidade, é impossível ser feliz sendo uma pessoa orgulhosa. Ele é perigoso e nos faz pensar que somos melhores que outras pessoas. É incrível, mas o orgulhoso não se submete a Deus porque acha que seu próprio caminho é melhor. A Bíblia diz em Provérbios 16:18: “A soberba […] 4 anos com orgulho do nosso namoro . Mais um ano que passou e mais uma vez podemos olhar um para o outro sem nenhum arrependimento e dizer com todas as letras: feliz aniversário de namoro, meu amor! Desta vez comemoramos nosso quarto ano, mas sei que ainda temos muitos outros pela frente. 𓂃 ♡̶ ㅤㅤㅤㅤㅤㅤ ៶៶ :ferris_wheel: ⩊ ☓ ㅤㅤ♡: orgu.lho﹚ 𝅄 Este ano, estamos apoiando a campanha Pride Everywhere ('orgulho em todos os lugares', em português) da The Trevor Project para divulgar a Trevor Space, uma comunidade internacional que incentiva jovens LGBTQ+ a se conectar e buscar apoio mútuo. Resultados :rainbow: 》 O levante contra a perseguição da polícia às pessoas LGBTI durou mais duas noites e, no ano seguinte, resultou na organização na 1° parada do orgulho LGBT, realizada no dia 1° de julho de 1970, para lembrar o episódio. Orgulho Hater. Namoros melosos demais – O MANUAL DO BOM NAMORADO™ ... Não me levem a mal, eu tenho razão, o seu namoro é tão meloso que mataria alguém que tivesse diabetes, se essa pessoa ficasse mais de cinco minutos com vc. Seu namoro é tão chato, que vai acabar nos órgãos sexuais de outra pessoa. Amor próprio e orgulho são coisas totalmente diferentes. Não confunda. Você ir atrás de alguém após uma briga, sabendo que está errado, é passar por cima do seu orgulho. Agora se humilhar constantemente por causa de alguém, é falta de amor próprio. Tumblr

Sou babaca por terminar uma amizade de mais de 10 anos?

2020.09.06 04:58 sayqueline Sou babaca por terminar uma amizade de mais de 10 anos?

Ola turma :/
Essa história é recente e me perturba um pouco e envolve uma amiga, vou chamá-la de Gabi.
Tenho um quarteto de amigas que conheço desde meus 7~8 anos (atualmente tenho 19 anos), n me recordo ao certo. São eu e a Gabi e mais duas meninas.
Há 6 anos mais ou menos, todas nós estávamos na mesma sala, nisso, tinha um menino que gostava muuuito da Gabi e eu virei melhor amiga desse menino, vamos chamá-lo de Paulo.
Enfim, o tempo foi passando e eu fui tentando ajeitar ele pra ela e vice versa, gostaria muito de ver eles juntos, pois eu achava que eles combinavam bem. Eu chamava eles pra vir em casa e segurava vela e coisas do tipo.
Passou um tempo e finalmente eles assumiram. E eu fiquei muito feliz por eles.
1 ano e alguns meses depois, eles terminaram. E eu, como a melhor amiga e as meninas do grupinho, fomos questionar, julgar e ajudar a situação dela.
Contou todos os detalhes de como o Paulo estava agindo diferente e como o namoro ficou estranho, até o término. Me senti meio mal pois eles eram bem amigos e eu influenciei no namoro dos dois. Tecnicamente, eu sentia uma parcela da culpa, apesar de ela negar o fato.
Uns dias atras, o Paulo me chamou no whatsapp (lembrando q eu ja fui melhor amiga dele) e começou a desabafar cmg, contar como ele estava triste e com raiva de ela não se arrepender da decisão. Eu fiquei conversando e acalmando ele (sabendo de todos os detalhes que a Gabi me contou) e dizendo pra seguir em frente.
Me senti um pouco triste e nervosa e acabei chamando a Gabi e disse pra ela que o Paulo me chamou. Claro, ela quis a conversa e eu encaminhei mais de 400 mensagens. Ela começou a ler um pouco e ja disse pra eu ficar do lado dele pq ele estava certíssimo, pra concordar com tudo oq ele disse (querendo dizer que eu acreditava mais nele doq nela). Logicamente, meu sangue ferveu e eu comecei a entrar em choque, pois a minha intenção era ajudar ele apenas, ja que ele ja foi meu amigo. Por ele ter me chamado, provavelmente eu era a unica amiga dele no momento, nao queria que ele ficasse mais mal.
Foi difícil pra eu ter q ler isso dela, pois eu era amiga dos dois e no começo ela disse q eu n deveria desfazer a amizade que tinha com o paulo por causa do relacionamento falho deles.
Eu nao consegui pensar direito, mandei mensagens de desculpas pra Gabi e bloqueei os dois no mesmo instante, pois nao queria mais me envolver no assunto, nao queria piorar as coisas, e pra mim, fugir era a melhor opção.
Ela me chamou em outra rede social pedindo pra que eu desbloqueasse ela, mas meu maldito orgulho se recusou, acabei dizendo algumas bobagens como, "que eu era a culpada pelos dois hj serem estranhos e nao amigos, por eu ser a amiga excluida do quarteto" e coisas do tipo e fui sincera, disse q "nao queria mais saber de qualquer envolvimento dos dois no quesito relacionamento" e pedi para que parasse de enviar msgs desse tipo pra mim. Logicamente, ela respondeu friamente q eu nunca fui amiga dela.
E a conversa se encerrou. Não nos falamos desde então.
Sou babaca por ter acabado com essa "amizade"?
submitted by sayqueline to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.27 21:34 Ultimecia- Desabafo sobre pensamentos ruins que me atormentam (+18)

Ola pessoal, depois de muito pensar, e me perguntar se deveria fazer esse texto, venho aqui pra desabafar um pouco, pois não tenho um ciclo social muito grande pra o qual eu poderia contar essas coisas, e as poucas pessoas que eu poderia contar, Não seriam diretas e sinceras. Como o texto também é bem constrangedor, acredito que um leve anonimato deve me ajudar a se expressar melhor.
Marquei o texto como +18 porque usarei palavras bem explícitas aqui para melhor entendimento, porém, ciente das diretrizes da comunidade, caso o texto seja ofensivo ou afete alguém menor de idade, gostaria que fosse removido o mais rápido possível, me desculpem se acabar sendo ofensivo ou algo do tipo, espero não ultrapassar nenhum limite aqui. Mas vamos lá.
A 3 anos atrás eu conheci uma garota do meu antigo emprego (tenho 23 anos, isso não fere meu anonimato). Essa garota era perfeita e muito fofinha, tinhamos a mesma idade e nos demos super bem, estávamos solteiros, e depois de 6 meses nos conhecendo começamos a namorar. Namoramos por uns 2 anos, e nesse tempo aproveitamos muito a companhia um do outro, foi tudo perfeito, sem brigas e sem desentendimento, até que começamos a nos conhecer de mais. Sempre fui um cara reservado, antes dela só namorei uma pessoa, por 3 anos, minha única experiência sexual foi com essa pessoa, e após o termino nunca me relacionei como mais ngm, porém, essa garota que conheci no meu trabalho (vou chama-la de Yomawa, nem sei o pq :v) ja havia tido muitos outros caras no passado. Conversando com ela, descobri que fui o primeiro namorado dela, porém, ela ja havia ficado e tido aventuras adultas com mais de 15 caras no total, alguns em festas, faculdade, e todo o resto, com alguns mais de 5 vezes, ja havia feito menage e outros desejos sexuais que realizou por curiosidade. Confesso que me surpreendi, uma garota tão fofinha e delicada ja ter passado por isso me abalou um pouco, e depois que eu fiquei sabendo dessas coisas, nosso namoro desandou. Comecei a criar uma espécie de paranóia na cabeça, de nunca ter dado um prazer tão bom pra ela em nossas relações na cama. Eu tinha alguns fetiches e curiosidades, e ela, ja havia realizado todos com os caras anteriores. Com o tempo essa paranóia de me sentir insuficiente foi tomando conta de mim, até que cometi o erro (ou não) de perguntar se eu ja havia sido o melhor com ela na cama. Ela disse que não, disse que avalia certos pontos nas relações, como preliminar, oral, beijo, penetração, vibe e etcs. E que desses pontos, eu tinha sido o melhor em preliminar e sexo oral, maaaaas, um dos piores em penetração, disse que ja tinha se relacionado com outros caras que proporcionaram um prazer enorme pra ela, e que achava difícil eu superar. Uma coisa que amo nela, é a sua sinceridade, eu odiaria sentir que estou sendo enganado, e a verdade apesar de doer, é o que eu prefiro. Desde então eu tenho me empenhado e dado o melhor de mim, para "ser o melhor" de cama. Eu nunca tive esse orgulho macho (como prefiro chamar) de querer ser o mais fodao em tudo e bla bla bla, mas isso tem me atormentado, e tem me impedido de ser feliz.
No começo ela acreditava que eu poderia ser o melhor na penetração e bla bla bla, mas agora ela pede pra eu não criar esperanças ahebhahehe que do jeito que estou (estou dando o maximo que consigo e fazendo treinos constrangedores de desempenho sexual no meu quarto) posso levar quase 1 ano pra conseguir ser o melhor do melhor. E isso tem me atormentado tanto que estou ficanso triste de vdd, me sinto insuficiente, quando estamos juntos e vejo ela gritar e gemer de prazer na cama, penso logo : - Se ela se contorce desse jeito comigo, imagina com o cara que já comeu ela melhor. Aaaaaaaaahh é horrível, me desculpem pela forma de falar "comeu" mas não consegui pensar em algo menos machista. Imagina você namorar uma garota que diz "meu namorado não foi o cara que me comei mais gostoso, desculpa, estou sendo sincera".
Ela diz que não liga pra isso, que o que sente comigo nunca sentiu com ngm, que nosso amor é pfto, que eu trato ela como uma Deusa e isso motivz muito ela todos os dias, ela chora só de pensar em me perder, e de vdd combinamos em tudo. Gostos, musicas, animes, séries, jogos, ela é perfeita, e eu sou o cara que nem consigo dar um prazer suficiente na cama, me sinto ridículo por isso, mas penso que quando começamos a tranzar, ela tem uma expectativa de ser bom e maravilhoso, e acaba não sendo, ela acaba esperando que seja bom como os outros caras, e acaba não sendo. Ja imaginou ela ter aquele prazer como referência sempre que pensar em sexo ? E não no meu ? Eu não consigo ser eu mesmo desde que isso aconteceu, e me sinto tão mal que penso em terminar. Estou mt agressivo com as palavras e muito decepcionado comigo, esse relacionamento está me deixando mal e me fazendo sentir a cada dia insuficiente, e ela não tem culpa, nunca seria capaz de culpa-la por falar a verdade, é a qualidade que mais amo, mas estou perdido. O relacionamento é mt mais que sexo galera, mas sinto que a cada segundo que passa, os caras anteriores estão ganhando de mim, sei la, é como se eu estivesse perdendo (???) Estou paranóico, queria desabafar, penso em ir em um psicólogo ou sexólogo, mas não sei mais o que fazer, de vdd.
Me desculpem se ficou mt grande este desabafo, ou se acaba ferindo alguma diretriz ou algum menor de idade, pfvr excluam se for o caso :(((
Ass : O cara que não foi o melhor da sua namorada
submitted by Ultimecia- to desabafos [link] [comments]


2020.08.13 17:43 Colccinho03 Passei por um momento difícil.

Passei por um momento difícil.
Então gurizada, preciso de uma ajuda, e melhor ainda se for uma opinião de uma pessoa que já tenha passado por isso ou algo parecido.
Então, sempre fui um cara feliz, sempre brincando com todo mundo, sempre levei a família como base da minha vida e amava eles demais, aquele amor reconfortante, que nos traz alegria, vitalidade e orgulho, e dia 5 de janeiro comecei a namorar, com a pessoa que eu amava a 5 anos e sempre quis estar junto mas por ser muito novo e achar que tinha que aproveitar um pouco mais nos não ficamos juntos, então dia 5 de janeiro desse ano começamos a namorar, me senti o cara mais feliz do mundo, sempre fui um cara que ficava feliz só com o sol entrando na janela e saber que dava pra jogar futebol, sempre sonhei em ser policial e tinha uma perspectiva e um ânimo enorme, só que dia 27 de janeiro briguei com meus pais por causa do meu namoro, e depois fiquei indiferente pra minha namorada, comecei a não ter aquele ânimo de ir ver ela, tipo como se tivesse desgostado sabe? Mas não tinha motivo pra isso porque era tudo perfeito, mas aí comecei a ficar com a visão embaçada, pensamento acelerado, aperto no peito e no braço esquerdo, comecei a chorar e tentava me apaixonar todos os dias, assim que comecei a tomar ansiolítico comecei a ficar melhor, porém depois comecei a perceber que eu estava indiferente pras coisas, não tinha mais nenhuma emoção, meus sonhos não me traziam ânimo nem vontade, sinto que não tô conectado a ninguém da minha família, nada do que eu gostava antes eu tô gostando agora, eu simplesmente tô existindo e sinto uma angústia no coração e perto da clavícula, minha memória tá ruim, tenho pesadelos e não consigo ter medo, só tomo uns sustos, tô vazio e sem nenhuma emoção.
É algo que tá me corroendo, não ter vontade de nada, não sinto prazer, nunca fui assim, já li na internet diversas coisas, e pelo que diz lá, tenho 10000 problemas diferentes, por favor, se alguém puder me ajudar e me aconselhar, por favor!!
submitted by Colccinho03 to brasilivre [link] [comments]


2020.08.06 06:08 denesfernando Sou Babaca Por Querer Que O Namorado Da Minha Amiga Não Passe Mais A Quarentena Aqui E Volte Pra Casa Dele?

Olá Luba, editores, gatas e Turma. Essa história que vou compartilhar aqui é recente, ainda estou tratando em terapia, mas ela começa um pouquinho lá atrás.
Um ""pouco"" de background para situar a todos de onde tudo isso começou.
Em 2013 comecei namorar um cara que vou chamar de Karen, por ele ser muito, mas muito CUSÃO (inclusive, ele se parece muito com você Luba e por vocês serem tão idênticos, eu passei um bom tempo sem assistir o canal, pois não conseguia te ver sem lembrar dele). Mas, enfim, em 2015 ele e o grupo da faculdade dele decidiram morar todos juntos em uma casa perto da faculdade, pois estava exaustivo para todos trabalharem em pontos distintos da cidade (São Paulo, para se alguém quiser se situar).
Então, em janeiro de 2016, eles se mudaram e eu ia para lá aos fins de semana, até que acabei me mudando para a casa em Junho do mesmo ano, no dia do meu aniversário.
Pois bem, foi uma fase horrível da minha vida por causa do meu ex, terminamos em maio de 2017 e tive que sair da casa. Esse meu ex era um abusador, um aproveitador, a pior pessoa que eu poderia ter conhecido na minha vida. Os abusos psicológicos que ele cometeu comigo, afetaram totalmente minha confiança e em como eu viria a me relacionar com outros caras, fora as crises de ansiedade que eu arrasto até hoje.
Mas então, eu fiquei amigo dos amigos dele da faculdade e em especial da Karls que virou minha melhor amiga.
Em 2017 eles terminaram a faculdade e em 2018 o contrato da casa venceu e eles finalmente poderiam se mudar, áquela altura ninguém suportava mais olhar pra cara do Karen.
Então, foi nesse momento, que a Karls e o Akarls me chamaram para vir morar com eles numa nova casa. Sem o Karen. E hoje nós três vivemos como uma família feliz com os nossos pets.
2019
Eu conheci um cara, eu vou chamar ele de Lars.
Lars e eu começamos a trocar mensagens, se conhecer, nos aproximarmos. Até então, antes dele, todos os outros caras que eu acabei ficando, não davam certo, (tem muito gay problemático nessa cidade). Mas Lars foi diferente, conforme nos conhecíamos, ele ia transpondo todas as muralhas que eu usava como defesa, pois meu maior medo seria voltar para um relacionamento abusivo, tóxico e doentio.
Com o Lars eu fui bem devagar, realmente queria conhecer ele, pra ver se o que eu estava sentindo era o certo e se ele não iria me fazer mal.
Nesse tempo conhecendo ele, eu desabafava com Karls todas as minhas inseguranças, pois ela tinha vivido todo o meu drama com o meu ex, ela sabia dos meus medos, receios, inseguranças em me relacionar com alguém e ela me dava todo o apoio, pra poder voltar a acreditar e saber que nem todo mundo é igual o Karen, que na verdade eu dei azar com o Karen, mas que não seria assim de novo.
Depois de tantos embates sobre minhas agruras eu acabei me desarmando e me permiti começar algo com o Lars.
Um mês e meio depois, finalmente decidi trazer ele em casa, para conhecer meus amigos e 😏.
Então, foi nesse fim de semana de novembro de 2019 que coisas aconteceram.
Depois de ficarmos, acabei aceitando os meus sentimentos por ele, pensei que depois de tanto tempo solteiro, passando por aventuras fracassadas com pessoas que não se encaixavam, onde a química só proporcionava uma reação inicial. Ali estava talvez o momento de poder compartilhar momentos com alguém.
Mas aquele início de sonho desmoronou muito rápido. No domingo quando ele estava pra sair para trabalhar, Lars me contou que iria para o Beto Carrero com um amigo. Fui pego de surpresa, pois ele não havia mencionado nada nas nossas conversas durante a semana.
Na época, Lars trabalhava como bartender numa cafeteria e reclamava de trabalhar muito, não ter finais de semana livres e só folgar nas segundas-feiras.
Como não tínhamos oficializado nada, nossa primeira vez foi na noite anterior e o fato de estar disposto a querer começar a construir uma relação tinha sido algo que eu havia arrazoado no meu coração, achei absurdo demais eu questionar porque ele não tinha me falado nada antes.
Tudo bem, ele iria no Beto Carrero com um amigo, logo após sair da cafeteria. Pegaria o ônibus na estação do Tietê no domingo a noite, passaria o dia no parque, já que a folga seria na segunda, e na segunda a noite ele voltaria e iria trabalhar na terça-feira de manhã. Eu, pelo menos, imaginei que seria assim.
Na segunda-feira, eu fui trabalhar normal, vi as fotos dele no Beto Carrero, os stories no Instagram aparentemente nada de estranho, mas a primeira coisa que me chamou a atenção foi o fato dele não ter postado um único story com o amigo, mas até aí, se eu encucasse com isso, seria uma atitude tóxica e eu não queria isso. Numa relação deve existir confiança.
Nós não nos falamos o dia inteiro, pois eu não iria ficar o importunando num passeio como aquele, que ele aproveitasse o máximo possível. Foi quando às 18:00 eu resolvi mandar uma mensagem para ele, já que eu estava saindo do trabalho.
A mensagem era mandando um "oi" e desejando que ele tivesse se divertido bastante e fizesse uma viagem tranquila de volta.
Foi quando ele me respondeu que não voltaria aquela noite, que ele iria para Balneário Camboriú com o amigo passear de barco. Eu fiquei completamente sem reação, foi um choque. Ele só reclamava de como o trabalho explorava ele, não era flexível e do nada, de uma viagem totalmente espontânea que aconteceu aleatoriamente pra aproveitar um dia de folga num bate e volta, surgiu uma folga no dia seguinte.
Eu não tive como não ser arrastado de volta para os tempos do Karen, onde eu fui trouxa por anos, onde ele matava aula pra transar na escada da faculdade, dizia que ficava até mais tarde no serviço pra não pegar trânsito, mas na verdade ia para dates furtivos de apps de pegação (inclusive tenho uma história ótima com relação a isso da época do Karen), enfim, meu cérebro e meu coração ligaram o sinal vermelho, as sirenes começaram a zunir no meu ouvido, a última coisa que eu queria era ser enganado como fui na minha última relação.
Voltando, Lars não falou mais nada depois disso, fui pra casa naquele dia. Na terça-feira de manhã, outro sinal de alerta, não tinha nenhuma mensagem no celular. Isso poderia ser irrelevante, se a gente não tivesse passado o último mês e meio, trocando várias mensagens e memes da hora que acordava até a hora de dormir. Me senti mal, a conversa tinha morrido da noite para o dia, fiquei angustiado, pois eu estava começando a gostar dele e aquilo mudou da noite para o dia.
Terça-feira se foi, ele em Balneário Camboriú, fotos e stories no Instagram se seguiram e nada desse amigo misterioso.
Finalmente, a noite ele estava voltando e mandou uma mensagem dizendo que estava exausto, mas estava voltando. Nesse momento, minha mente já tinha formulado mil e uma histórias, mas resolvi ser prudente, apesar da angustia que estava sentindo.
Foi difícil dormir aquela noite, na manhã seguinte, ele mandou uma mensagem dizendo que havia chegado, estava exausto, mas estava indo trabalhar.
Nossa conversa, já não era a mesma, algo tinha mudado, as palavras ou a ausência delas são um termômetro para o coração, escrever para outra pessoa é um ato de conexão e o nosso elo havia se rompido.
Foi quando resolvi confrontá-lo.
Segue abaixo a conversa no whatsapp:
[28/11 11:56] Denes: Desculpa, Lars.
[28/11 11:56] Denes: Eu não sei de fato o que aconteceu
[28/11 11:56] Lars: Pelo o que ?
[28/11 11:56] Denes: mas desde terça que eu sinto que nossa conversa morreu
[28/11 11:56] Lars: :(
[28/11 11:56] Lars: Eu que peço desculpas
[28/11 11:57] Denes: se vc puder me dar uma luz
[28/11 11:57] Lars: Questão de conversa tbm não sei ... :(
[28/11 11:58] Lars: Não quero ser cuzao contigo
[28/11 11:58] Denes: me diz o que tá acontecendo
[28/11 11:59] Lars: Gosto olhando no olho
[28/11 11:59] Lars: Gosto de vc
[28/11 11:59] Denes: talvez não haja olho no olho se eu não entender o que está acontecendo
[28/11 12:00] Denes: eu tb descobri que estou gostando de vc
[28/11 12:00] Denes: descobri de uma maneira bem ruim
[28/11 12:00] Denes: só quero que vc me diga
[28/11 12:00] Denes: sem medo
[28/11 12:02] Lars: Eu recebi uma ligação de alguém antes de viajar que me deixou balanceado
[28/11 12:02] Denes: prossiga
[28/11 12:02] Lars: Não gosto da ideia por aqui
[28/11 12:03] Lars: Mas tá bom ...
[28/11 12:03] Denes: por favor, agora que começou, não pare
[28/11 12:03] Lars: Pouco antes de conhecer vc eu tinha acabado um relacionamento ...
[28/11 12:03] Denes: hum
[28/11 12:04] Lars: E tipo ainda algo que me deixa balançado e tal ...
[28/11 12:05] Denes: entendi
[28/11 12:05] Denes: ah...
[28/11 12:05] Lars: E tipo não quero mentir pra vc
[28/11 12:05] Lars: Nem ser um cuzao contigo me entende
[28/11 12:05] Lars: Quero ser sincero sempre
[28/11 12:05] Lars: Não só com vc mas comigo mesmo
[28/11 12:06] Denes: então, o livro de Harry Potter que está com vc, foi um presente de um amigo meu que faleceu esse ano, será que posso pegar com vc na catraca amanhã da Santos Imigrantes
[28/11 12:06] Lars: Sim ... Claro ... Mas queria conversar mais com vc pessoalmente
[28/11 12:06] Lars: Se não se importar
[28/11 12:07] Lars: Tenho um presente pra vc
[28/11 12:07] Denes: eu vou me importar
[28/11 12:07] Denes: por favor, sem presentes
[28/11 12:07] Lars: Tudo bem :(
[28/11 12:09] Denes: amanhã as 8:30 te encontro na Catraca
[28/11 12:09] Lars: :( eu lhe entendo sabe ... Mas confesso que gosto de vc e queria que vc permanecesse na minha vida independente de qualquer coisa
[28/11 12:09] Denes: não será possível
[28/11 12:09] Lars: Tudo bem eu entendo vc ... :(
[28/11 12:09] Lars: Me desculpa
[28/11 12:10] Denes: te encontro amanhã na catraca sem falta
[28/11 12:21] Lars: Hj vc sai que horas do trabalho?
[28/11 12:24] Denes: Desculpa, Lars. Mas eu só pretendo te encontrar para pegar o meu livro. Não, temos nada para conversar. Você não me deve satisfações, justificativas ou esclarecimentos. Apenas o meu respeito. Mas, mesmo assim. Esse ponto final precisa ser colocado.
[28/11 12:25] Lars: Tudo bem eu entendo e respeito vc ... Falei de hj pq posso te entregar hj o livro
[28/11 12:25] Lars: Ele está comigo aqui no trabalho
[28/11 12:26] Denes: Eu saio às 18:00
[28/11 12:26] Lars: Posso te entregar hj o mesmo horário ... Na estação melhor pra vc
[28/11 12:27] Denes: Que horas na Santos Imigrantes vc vai passar por lá?
[28/11 12:27] Lars: Umas 19h a 19:30
[28/11 12:28] Lars: Mas espero a sua hora
[28/11 12:28] Denes: Okay, as 19:00 estarei lá
[28/11 12:28] Denes: Se chegar antes estarei sentado em algum dos bancos da plataforma
[28/11 12:29] Lars: Tá bom
[28/11 12:29] Lars: Sei o que vc vai falar ... Mas desculpas :(
Quando ele falou dessa ligação do ex e ficou balançado, eu senti uma enxurrada de sentimentos negativos, o tsunami de chorume que eram as mentiras do Karen voltando a tona. Todas as desculpas esfarrapadas, parecia que eu estava vivendo tudo outra vez.
Eu estava cego, na gana de não querer cometer os mesmos erros do passado, acabei sendo seco, duro e intolerante, condenando um pelos erros de outro.
Eu já tinha sentenciado dentro de mim que aquela viagem foi algo que ele tinha programado com o ex e que tinha ido com ele e que eles tinham se acertado e que ele queria me manter como step se nada desse certo. Enfim…
Nesse mesmo dia, fui buscar o meu livro (um fato curioso, esse livro que foi presente de um amigo que veio a falecer em 2019, foi um presente pra me lembrar o quanto eu sou uma pessoa corajosa, era a edição de 20 anos da Pedra Filosofal nas cores da Grifinória e dentro ele escreveu a famosa frase da Luna "As coisas que perdemos sempre acabam voltando para nós. Mas nem sempre na forma em que pensamos." https://imgur.com/a/ebJFd2U
Ironicamente, quando paro pra olhar isso em particular, penso na grande ironia de tudo.
Eu cheguei antes na estação, fiquei esperando, sentado num banco na plataforma, vendo vários trens passando, várias pessoas descendo na estação vindo depois de mais um dia de trabalho. A minha ansiedade estava a mil, eu queria chorar, estava angustiado com tudo aquilo, pior, sem entender como "tinha cometido" o mesmo erro outra vez.
Ele chegou uns 15 minutos depois, estava com o livro na mão, eu peguei o livro e então ele me estendeu os braços pedindo um abraço, fiz com ele o que eu devia ter feito com o Karen, olhei para ele com a minha pior cara de desgosto e nojo e falei "Adeus", virei as costas e deixei ele lá.
Hoje, não me orgulho do que eu fiz, sinto vergonha quando penso, mas para que vocês entendam aquele gesto, mesmo ele não sabendo, era algo traumatizante, no término com o Karen, quando coloquei minhas malas e meus livros no táxi, ele chegou até mim e na maior cara de pau, na sua maior interpretação pra burguês ver, ele me pediu um abraço e o trouxa aqui cedeu esse abraço, então ele sussurrou no meu ouvido "Sou eternamente grato por tudo o que a gente viveu e você vai sempre poder contar comigo para o que você precisar" e quando eu precisei o que eu ouvi? "Não tenho obrigação nenhuma de te ajudar."
Quando eu saí da estação, bloqueei o Lars em todas as redes sociais, Facebook, Instagram, Whatsapp e até o número dele pra ele não me mandar SMS ou ligar. Não queria nunca mais ouvir falar dele pelo resto da minha vida.
Alguns dias se passaram e a Karls me contou que Lars havia mandado mensagem para ela no Instagram dizendo que estava preocupado comigo, queria falar comigo e eu irredutível falei que nunca mais queria saber nada a respeito dele.
Então ali eu tinha colocado uma pedra em cima desse assunto, vida que segue.
Dezembro de 2019
Karls é uma garota muito linda, mas em todos esses anos de amizade ela só se envolvia com os piores caras do Tinder, uma fase da vida dela que fazemos piada, mas que se você olhar atentamente, era bem triste.
Ela tinha o sonho de conhecer um cara bacana, compartilhar momentos, viver toda aquela fantasia de namoro, dormir abraçada, assistir anime, cantar músicas da Disney e cozinhar todos os pratos possíveis de todos os programas de culinária que existem no mundo.
Depois de anos, esse cara apareceu. Vamos chamá-lo de Darls.
Darls é um cara super carismático, que faz amizade por onde ele passa, falador, contador de piada, solicito, uma pessoa que todo mundo iria adorar ter como amigo.
JANEIRO 2020
Parecia que Darls sempre esteve nas nossas vidas, Akarls e eu o recebemos de braços abertos, pois víamos o quanto ele fazia Karls feliz.
Logo ele começou me pedir dicas e mais dicas de coisas que fariam a Karls feliz e nesses 5 anos de amizade eu era a pessoa que mais sabia de tudo o que a Karls gostava.
FEVEREIRO 2020
Eles oficializaram o namoro, (meio rápido, mas…), então ela entrou numa tour para conhecer todas os amigos dele, pois ele queria apresentar a namorada para as pessoas importantes na vida dele.
Darls mora a 35km de distância, num bairro distante, 2 horas de viagem no mínimo, mas ele sempre estava vindo passar mais tempo aqui.
MARÇO 2020
Pandemia chegou, isolamento social foi instaurado, pessoas em casa. Eu sou editor de vídeo, então estou trabalhando em casa desde que esse inferno começou. E quem acabou vindo para cá, também? Exatamente, Darls.
A companhia dele era agradável, e por vermos Karls feliz, nada objetamos, aceitamos naturalmente a estadia dele aqui. Mesmo que nunca tenhamos conversado isso entre nós, foi natural olharmos para a felicidade dela.
ABRIL 2020
Um mês de quarentena, eu sou uma pessoa ansiosa. Solteiro que passou da barreira dos 30, já havia sentenciado que não conheceria ninguém e morreria só, pois já estava sem esperança de conhecer alguém em um mundo sem um vírus mortal, imagina em um mundo onde estar perto 2 metros de alguém pode ser sua sentença de morte.
Eu comecei entrar numa crise terrível, comecei trabalhar demais, a fazer 12 horas de trabalho por dia e no meu tempo vago eu comecei a assistir todos os filmes e curtas gays já foram produzidos no mundo. E nisso, fiz a burrada de assistir um filme que superestimei por anos.
Brokeback Mountain.
'O que eu fiz da minha vida?'
Eu fiquei tão mal, mas tão mal, que naquela noite eu fui dormir chorando e os dias que se seguiram eu tive tanto remorso pelo final daquele filme, que certo dia eu comecei chorar na frente da Karls e do Darls enquanto a gente almoçava.
No final de abril, meu tio implorou que eu fosse na casa dele, pois estava tendo um problema entre minha mãe e minha irmã e ele estava preocupado da minha mãe acabar se metendo em um avião e vindo pra São Paulo no meio de uma pandemia. Fui, como se eu já não estivesse colapsando, ainda tinha que resolver o problema de outras pessoas.
Naquela semana, eu assisti um vídeo, tenho 80% de certeza que foi no LubaTV os outros 20% acho que foi no canal do Henry Bugalho, que falava sobre perdão, algo do tipo "se não perdoamos, do que adianta pedirmos desculpas" e eu já estava muito reflexivo.
De noite, eu estava no apartamento do meu tio, quando recebi uma notificação de que alguém tinha me seguido no Twitter.
Abri a notificação e vi que era o Lars me seguindo quase 6 meses depois. Ele não tinha twitter e tinha criado uma conta por causa da quarentena.
Minha primeira reação foi bloquear ele, mas aí bateu aquele turbilhão de coisas acumuladas nessa quarentena. O final de Brokeback Mountain, a fala sobre perdão e um detalhe sobre o Lars que pesou muito, ele tem diabetes, acho que é um tipo raro, ele desenvolveu super novo, ele toma dois tipos de insulina, ele é grupo do risco.
Sentei no sofá e me perguntei, 'o que ele queria depois de todos esses meses? Ele não entendeu o meu "Adeus"?'
Pois, bem. Fui até o Instagram, desbloqueei ele e mandei a seguinte mensagem:
"O que você quer?"
Ele levou uma meia hora pra me responder, o 'digitando…' parecia eterno.
Resumindo, ele falou que se importava muito comigo, que eu marquei a vida dele, que nunca quis se distanciar de mim, que jamais foi a intenção me magoar com o que quer que tenha acontecido e que nunca dei a oportunidade dele se explicar.
E eu respondi, que não importava o que ele tivesse para me dizer, não ia mudar a opinião que eu tinha sobre ele.
Ledo engano, meus caros.
Fui dormir às 4 da manhã, tirei tudo de dentro de mim, tudo o que eu inventei na minha cabeça. Porque no meu relacionamento anterior eu ouvi tantas mentiras, que acabei jurando que qualquer um iria mentir para mim, era o único referencial que eu tinha.
Só para que vocês saibam, era realmente um amigo, as fotos que ele tirou junto com o amigo no Beto Carrero, foram todas no celular do amigo a folga da Terça-feira, o chefe dele estava devendo uma folga para ele e como ele não iria poder tirar essa folga a mais do que as que estavam previstas para Dezembro, o chefe deu a folga pra ele na terça para que ele aproveitasse mais um dia de viagem. E sim, o ex dele ligou, ele ficou balançado, pois eles tinham tido uma história recém terminada, mas ele me contou, primeiro porque eu insisti, mas também porque ele não queria mentir pra mim, já que eu tinha todo esse problema com mentiras, então ele queria ser honesto comigo desde o início e que nunca foi a intenção dele voltar com o ex, tanto que ele não voltou, ele queria estar comigo, e que mesmo tendo passado todo aquele tempo ele nunca tinha me esquecido e não tinha desistido de mim.
Eu falei para ele que não sabia como reagir a tudo aquilo, disse que não sabia se seria capaz de confiar nele. E que ele não tivesse esperança, mas que eu iria refletir sobre tudo aquilo.
Então eu voltei pra casa e compartilhei a história com Karls e Darls.
Karls ficou meio com o pé atrás, mas Darls me apontou os erros que eu cometi, me fez enxergar o quanto eu tinha exagerado pelo medo e desconfiança que eu tinha, que não tinha nada a ver com Lars e minha ficha caiu.
Agora, tudo o que me restava era o meu orgulho, eu precisava passar por cima disso.
Voltei a conversar com Lars, aos poucos, foi difícil no início, mas ele foi muito tolerante, eu expliquei que não estava sendo fácil voltar a conversar com ele, mas que compreendi que muito daquela situação era culpa minha.
Ele começou a me mandar mensagens de manhã e a noite, de bom dia e boa noite e esporadicamente algum meme. Foram duas semanas conversando quando houve a necessidade da gente se ver. Eu não sabia como iria reagir.
Sim, ele viria aqui em casa no meio de uma quarentena, mas antes que cresça os julgamentos, moramos próximo um do outro, ele viria a pé, sem pegar nenhuma condução e num horário de pouco fluxo.
MAIO 2020
Então comuniquei que ele viria aqui em casa para Karls, Akarls e Darls. Aparentemente, achei que todos tinham recebido a notícia de bom grado.
Ele veio, a primeira coisa que ele fez foi ir para o banheiro tomar banho, com Covid não se brinca. Depois, sentamos e conversamos, e mais uma vez, eu falei tudo de novo, dessa vez olhando no olho, colocando tudo a limpo, uma conversa franca, contei de todas as impressões que eu tive de tudo o que aconteceu, como a narrativa se construiu na minha cabeça e porque agi da maneira que agi.
Em contra partida, ele disse que estava tudo bem, disse que ficou muito chateado, mas os amigos dele conversaram com ele dizendo que tinha um motivo para eu agir como eu tinha agido. Ele me falou que nunca me esqueceu e queria ter uma oportunidade de conversar comigo e esclarecer as coisas, pois sabia que tudo tinha sido um grande mal entendido. Ele falou que mandou várias mensagens para a Karls, mas não obteve resposta. E quando ele me mandou o convite no Twitter, ele disse que seria a sua última tentativa de se aproximar de mim, se não desse certo, ele mesmo desistiria de tudo.
Ele passou três dias aqui em casa, eu não me abri tanto com ele com relação a isso, mas eu senti muito remorso por como as coisas aconteceram por minha causa.
Outra coisa, lembra na mensagem, quando ele falou que tinha um presente para me dar e eu falei que não queria? Ele trouxe o presente, ele guardou o presente todo esse tempo e disse que toda vez que via o presente, ele lembrava de tudo o que a gente viveu e a coisa que ele mais queria era me dar esse presente, que ironicamente ele comprou na viagem para o Beto Carrero.
Era um funko do Harry Potter, já que eu amo muito Harry Potter. (Não, não sou transfóbico, eu amo Harry Potter desde 2000). http://imgur.com/gallery/cah0Ry7
Ele voltou pra casa dele. Continuamos a nos falar, reatar laços, ter essa troca.
Compartilhei minhas impressões com Karls e Darls, eu estava relutante, desacreditado. As pessoas subestimam relacionamentos abusivos, mas a gente carrega coisas por anos, os estragos são terríveis, estava eu provavelmente estragando uma oportunidade de ser feliz por medo de ser feliz.
As coisas foram devagar, estávamos conversando de nossas rotinas na quarentena, ele o quanto sentia falta do trabalho e não aguentava mais assistir séries e eu o quanto estava trabalhando e engordando, já que editor de vídeo trabalha em casa, praticamos isolamento social antes disso "estar na moda" (✌️ salve editores do canal, eu juro que tô escrevendo essa história que já passa de 4 mil palavras, pensando se realmente o Luba lerá essa história na Turma-Feira, fico imaginando no trabalhão que vocês vão ter pra editar, se eu puder pedir, posta a Timeline pra eu ver como ficou no final, curto muito timelines [Sim, pra quem não entende, isso é meio creep]).
JUNHO 2020
Lars voltou, veio para estar comigo no meu aniversário, inclusive ele me presenteou com Find Me do André Aciman, ele disse que queria me dar a muito tempo, pois em novembro do ano passado eu estava lendo Call me by your name e eu estava namorando pra comprar o livro quando fosse lançado, mas não deu nem tempo dele poder comprar na época.
No meu aniversário, resolvi cozinhar para comemorar, fazer escondidinho de frango. Eu estava de folga e queria fazer algo especial para Karls, Darls, Akarls e Lars. Eu passei a tarde e começo da noite cozinhando e Lars me ajudando.
Então, aconteceu o estopim de todo o caos.
Karls e Darls desceram e viram que o escondidinho não estava pronta ainda, ela fechou a cara e disse "Nossa, ainda não está pronto?". Depois eles fizeram um sanduíche e comeram e subiram, bastou aquilo pra me entristecer, até entendo que ela poderia estar com fome, mas ela bater porta de armário e a porta da geladeira acabou todo o meu ânimo, me senti super mal.
Comi aquele escondidinho triste, o clima na mesa estava tenso e na boa o que era pra ser uma comemoração no que eu acreditava ser entre família, foi a porcaria de um jantar de aniversário que eu perdi tempo fazendo.
Lars voltou pra casa dele, continuamos nos falando e estreitando os laços, aproveitando a companhia um do outro, e finalmente no meio de toda essa situação de merda que estamos vivendo no planeta, senti uma esperança de que talvez tudo daria certo, pelo menos uma vez.
Mais uma vez, ele veio passar o fim de semana aqui em casa, e foi divertido, assistimos filme, contamos piadas e o melhor, eu estava podendo dormir abraçado com ele, por a cabeça no travesseiro e não me sentir só.
JULHO 2020
O mês do caos, eu odeio Julho, por tantos motivos, sério. Eu tenho inúmeras histórias de desgraças nesse mês que PQP (Gif da Xuxa).
Lars me mandou mensagem dizendo que ele teve uma briga terrível com o sobrinho dele, na briga eles só faltaram sair na porrada, ele falou que estava mal por estar na casa da irmã dele e por toda essa indisposição com o sobrinho que tem 18 anos e é um completo folgado. Ele disse que iria procurar um lugar pra ficar, mas até lá, ele perguntou se poderia ficar aqui até encontrar esse lugar.
E como eu já fui colocado pra fora de casa pelo meu tio e me vi sozinho, eu sei o quanto é importante ter alguém pra estender uma mão amiga nessa hora.
Eu respondi que sim, mas que ia comunicar o Karls e o Akarls. Expliquei a situação Lars e eles falaram que tudo bem.
A Karls começou a fazer um freela permanente em um grande estúdio aqui de SP, então ela já não estava ficando em casa e quando estava, ficava a maior parte do tempo com o Darls, que ficou aqui em casa, mesmo ela trabalhando regularmente, já que as coisas estão flexibilizadas por aqui.
A princípio, Lars ficaria aqui até dia 10, ele tinha acertado de ir morar com um pessoal que ele achou num grupo do Facebook, mas o lugar onde esse pessoal ia morar não deu certo, pelo o que ele me contou, foi lance com a Porto Seguro, ele ficou decepcionado, porque os meninos eram legais. Então, ele voltou para a busca de encontrar um lugar pra ficar, eu inocente disse que ele poderia ficar o tempo que precisasse.
Interiormente, eu queria me redimir por toda a injustiça que foi o nosso início, queria fazer certo dessa vez, pois ele estava sendo bom pra mim e eu nunca tinha tido isso, esse convívio.
Enquanto ele estava aqui, comecei a ter companhia para o almoço, passei a comer direito, já que ele é obrigado a comer certo por causa da diabetes, eu estava até me alimentando nos horários certos. As noites assistíamos séries abraçados, até a hora de dormir. Parecia um oasis no meio de todo esse inferno que estamos vivendo, por um único instante eu esqueci de tudo de ruim.
Nesse período, ele estava procurando vários quartos, mas só encontrava cativeiros sendo alugados por mercenários.
Conforme o mês ia passando, Karls estava bem estressada com tudo e quando estava todo mundo na cozinha, ela parecia evitar querer falar com ele. No início, eu pensei que fosse TPM ou alguma coisa em particular dela com Darls.
Mas eu tive certeza que era alguma coisa com o Lars, no dia que estávamos jantando e ela veio informar que o botijão de gás tinha acabado e ela tinha comprado um novo, mas ela insinuou que estávamos cozinhando demais. Eu fiquei, sem reação, pois não esperava por aquilo, como eu falei, ela e o Darls estavam fazendo todas as receitas que existiam na internet, como que o Lars 10 dia aqui era a causa do botijão ter acabado?
Então aquilo começou a ficar espinhoso e o meu erro foi não ter confrontado. Eu comecei a me sentir acuado com o Lars e não sabia o que fazer, ele já estava numa puta situação frágil por ter saído da casa da irmã por indisposição com o sobrinho e a coisa que eu mais queria era que ele se sentisse confortável na minha própria casa.
No meio de tudo isso, ele voltou a trabalhar e eu passei a acordar cedo junto com ele, pra tomar café e abrir o portão pra ele poder sair, num desses dias, eu levantei e fui no banheiro e enquanto eu usava, a Karls bateu na porta perguntando quem é que estava lá dentro de uma maneira meio ríspida, no caso era eu, mas o Lars viu a situação toda, ele não me falou, mas eu reparei que ele parou de tomar banho de manhã antes do trabalho. Dizia ele que o banho da noite era suficiente.
Depois, ele parou de tomar café da manhã, disse que tomaria café na cafeteria que ele trabalha.
A próxima coisa que aconteceu foi um dia que eu estava na cozinha e fui informado que Karls e Akarls decidiram que não iríamos mais fazer as compras de mercado juntos. E que só manteríamos os produtos de limpeza e higiene e que o resto era cada um por si.
Confesso, que na hora não compreendi o que estava acontecendo, eu estava muito desligado, na verdade não acreditava que os meus amigos estavam me excluindo por causa do Lars, eu estava sendo ingênuo, pois não imaginaria que aquilo estava acontecendo.
No meio desse caos todo, Lars, virou pra mim e disse que a irmã dele pediu que ele fosse na casa dela. Então ele iria direto do trabalho e dormiria lá no sábado para o domingo, já que estaria de folga e voltaria pra cá no domingo a noite.
Só que ele não voltou, ele disse que a irmã dele pediu para que ele dormisse lá mais uma noite. Pensei, okay, ele vem então amanhã direto do trabalho pra cá, mas aí ele não veio na segunda, foi quando o peso de tudo bateu.
A essa altura eu já estava angustiado com tudo aquilo e direcionei minha frustração para o lado errado, em vez de confrontar quem estava causando toda essa situação insatistória, eu cobrei dele, porque ele não estava aqui. Perguntei, porque ele não queria estar mais aqui. Ele falou que queria. Então, eu perguntei porque o domingo, virou segunda e agora a segunda virou terça? Ele hesitou, aí eu perguntei se era por causa da Karls e ele disse que só não queria incomodar ninguém.
Eu fiquei mal, por ele se sentir mais incomodado na minha casa do que na casa da irmã dele com o sobrinho folgado que estava fazendo da vida dele um inferno.
Fiquei desapontado, ele veio na quarta, conversei com ele, disse que iria conversar com a Karls sobre toda essa situação. Mas já era tarde.
Era a última semana de Julho, e antes mesmo que eu pudesse conversar com a Karls, Akarls chegou dizendo que não dava mais para dividirmos a conta de água como estávamos fazendo, por 3, teríamos que dividir por 5, já que a conta ficou mais cara.
Na sexta-feira daquela semana, Lars encontrou um quarto numa casa que ele meio que alugou as pressas e ele se mudaria na primeira segunda de agosto. Quando eu pude confrontar Karls, no sábado, sobre tudo aquilo, já era tarde. Falei que fiquei chateado deles quererem repartir a conta da casa por 5 com o Lars pelo mês que ele passou aqui, mas isso nunca foi nem cogitado nos 5 meses do Darls aqui. Falei que fiquei decepcionado por ela não ser capaz de enxergar a minha felicidade. Por não ser capaz de ver o quanto eu estava feliz, como eu enxerguei a felicidade dela com o Darls e o recebemos de bom grado dentro de casa por causa da felicidade dela. Disse que foi muito cômodo pra ela ter alguém pra poder dormir junto, assistir coisas juntos, ter os momentos a dois e quando eu pude ter o mesmo, ela não olhou para mim com os mesmos olhos.
Enfim, Lars se mudou, tomei esse tempo que poderia estar assistindo uma série com ele para escrever tudo isso. Angustiado e decepcionado. Darls não tem culpa de nada do que está acontecendo, mas agora acho completamente injusto ele estar aqui e o Lars não estar, não sei o que fazer, minha vontade é de falar, "acabou a quarentena para os dois, pode voltar para sua casa". Me sinto injustiçado e triste por alguém que eu amo tanto, não ter sido capaz de enxergar que eu estava feliz. É isso, estou esperando a próxima sessão da minha terapia e Karls e Darls estão lá no quarto dela e eu estou só.
E para finalizar, essa foi minha conversa agora a pouco com o Lars.
Lars https://imgur.com/gallery/PRrxEI6
submitted by denesfernando to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.27 05:07 sim_meu_nome_e_Leite Eu sou uma babaca por enrolar pra sair do armário?

Oi Luba, gatas, editores, gatas, restos mortais de papelões, Pekeanu Reeves, gatas e turma que está a lever. A história é meio longa, então peço que tenham um pouco de paciência, se possível.
Eu sou bissexual (21, menina). Tirando meu irmão mais novo (19) e minha mãe (51), ninguém mais na minha família (eu acho) sabe. Eu sempre fui bem tranquila sobre minha sexualidade e nunca fiz nada demais a respeito da minha família para fazer que eles saibam, pelo menos até meu primeiro relacionamento sério. Eu tinha 19 anos na época e ela era bem mais velha (25 anos no começo, mais ou menos 7 anos de diferença), nos conhecemos na universidade: Ana (não é o nome dela, mas é o que vou usar) era aluna do curso de mestrado e eu uma bolsista do mesmo grupo de pesquisa da área dela, então eu meio que era responsável por montar os experimentos, auxiliar na instrumentação, produzir alguns artigos, etc... Eu acabei indicada para auxiliar a tese dela e meio que rolou no laboratório mesmo (outra história). Começamos a sair.
Namoramos por 1 ano e 3 meses. Por volta do quarto mês de namoro, eu "saí do armário" porque eu não achava que seria uma grande coisa. Foi meio complicado, meu irmão teve uma reação do tipo "EU SABIA" e minha mãe, bem, ela surtou. Ela exigiu que eu terminasse e parasse com toda a coisa de "sapatona", que tudo era culpa do Dani (meu melhor amigo, aliás ele é abertamente gay) que ele me """contaminou"""" e por aí vai.
Nunca fui 100% próxima dos meus pais, eles eram muito controladores e um tanto entitulados, especialmente comigo e minha irmã mais velha. Saí de casa aos 16 e moro sozinha desde então, pago minhas próprias contas, tenho meu próprio emprego, faço a federal do meu estado e basicamente eles não tem muito haver com a minha vida. Só mantinha contato por causa do meu irmão mais novo, que francamente é meu maior orgulho. No caso dos meus tios, primos e primas, se eu visse eles mais de duas vezes ao ano seria um milagre.
Demorou mais de dois meses para ela voltar a falar comigo e permitir que eu visse o Davi (meu irmão). Ela disse que iria ignorar tudo aquilo com três condições: Não influenciar o Davi, não contar ao restante da família (especialmente meu pai) e levar somente meus "relacionamentos de verdade" para casa (traduzindo, eu só poderia trazer para casa meus namoros heterossexuais e pelas proprias palavras dela: "deixar a put**** fora de casa"). Do contrario, ela nunca mais iria permitir que eu visse meu irmão.
Sinceramente, eu não me importei. Davi e Dani era minha única família de verdade e eles me apoiavam, então estava bem feliz apesar da situação tensa. Sem contar que ele tinha 17, logo faria 18 e já planejávamos que ele se muda-se para minha casa. Expliquei a situação para minha namorada e, surpreendentemente para mim, ela ficou livida (p***) por eu me submeter a esse tipo de merda.
Nós discutimos MUITO. Levou cerca de uma semana para voltarmos. Basicamente, ela achava melhor eu confrontar a situação toda. Eu achava injusto passar por toda aquela dor de cabeça, se eu poderia esperar alguns meses para meu irmão completar 18 e vir morar comigo e então mandar meus pais para aquele lugar. Ainda por cima ela mesma também não era assumida e estava exigindo que eu fizesse basicamente a mesma coisa que ela se recusa a fazer á anos. E eu dizia isso para ela, Ana só dizia que "é diferente" e "para você é mais fácil", por aí vai.
Eu não queria arrancar ninguém do armário. Não precisa ir muito longe na internet para ver os relatos desse tipo de processo que pode ser bem complicado. Eu não exigia que ela me assumisse ou algo do tipo, então na minha cabeça pelo menos, já que eu não exijo isso não teria porquê ela exigir de mim.
Ela insistia que era diferente, que a família dela era mais complicada que a minha (a família dela era beeeem religiosa, já a minha era só conservadora mesmo) que eu não ligava para meus pais e que era fácil.
Mesmo que eu não ligue sobre o que eles diriam sobre minha sexualidade, não é como se tudo que eles dissessem sobre mim não me afetasse. Além disso, toda a confusão seria incrivelmente tensa para o meu irmão, por mais que eu não seja fã dos meus pais, ele os ama e colocar um garoto de 17 anos em uma situação em que ele teria que "escolher um lado" entre parentes que ele ama não é exatamente o conceito de saudável.
Enfim, apesar de toda confusão, botamos uma pedra no assunto e o encerramos. Mesmo assim o clima ainda era estranho e a bolha estourou no natal do ano passado.
Eu mandei algumas mensagens privadas para ela, já que cada uma ficou com sua família no Natal. O pai dela leu as mensagens. Obviamente, as coisas não foram nada boas. Recebi uns áudios bem assustadores dele. Ele é um PM aposentado então eu me caguei um pouco, confesso. Alguns dias depois na véspera do ano novo, nós terminamos.
Meu irmão e eu moramos juntos hoje em dia (atualmente ele têm 19). Por volta de março desse ano um cara se moveu para o apê da frente, com a quarentena passamos a nos esbarrar bastante e começamos a namorar, o namoro vai muito bem aliás.
De alguma forma, minha ex soube e me mandou algumas mensagens (já fazem mais de 7 fucking meses que terminamos). Ela disse muita coisa, a maioria eram um monte bosta, mas uma coisa que ela disse ficou na minha cabeça: Se você tivesse insistido mais com seus pais nós ainda estaríamos juntas.
Bem, isso está na minha cabeça já faz uns dias e eu realmente não sei o que pensar. Meu irmão concorda em parte com ela, e que eu realmente deveria ter insistido mais naquela época e dado uma chance para ver a reação de todo mundo, ao invés de excluir todos de uma vez com exceção dele, mas o que foi, já foi e que eu deveria focar nas coisas de agora.
Bem, eu não tenho quase nenhum contato com meus pais hoje em dia. Não sei qual foi a primeira reação do meu pai e do resto da família, mal sei direito se eles tem alguma ideia. Da feita que o Davi completou 18 fizemos a mudança e não me preocupei em manter contato, disse para minha que ela poderia contar ou não, até agora me parece que ela escolheu não contar. Ele ainda ver nossos pais obviamente
Eu sou uma babaca?
📷ResponderEncaminhar
submitted by sim_meu_nome_e_Leite to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.25 04:22 MarcoDino O HEXÁGONO AMOROSO

Olá seres humanos não adaptados para 2020, olá Luba, pessoas que estão a ver este post que são demominados de turma (chega), olá gatas incríveis, restos de papelão e se eu aparecer no vídeo né, editor (COISA Q NUM VAI ACONTECER MASOK SKSK) Bom, minha história começa no meu.... Acho que 7 ano, não lembro totalmente, mas enfim, onde eu conheci minha Ex (vamos chamar ela de Chibi, pq ela é pequenininha, sem ofensa, claro) Chibi, ela se interessou por mim quando eu namorava uma amiga dela, a...... Rars, que tipo, sabe aquele namoro meio paia que só é coisa de momento e tals? Então, era isso, a gnt se conheceu nesse contexto. Chibi e eu namoramos por quase um ano, em volta de 8/9 meses, até que me mudei e fui para outra escola, onde foi nossos últimos meses de namoro. Conversa vai, conversa vêm, o namoro foi desfiando conforme os móveis da minha casa iam para outra, até que eu finalmente me mudei, foi aí que decidimos ir namorando (coisa que nunca dá certo), ao chegar na minha nova casa, obviamente fui transferido de escola, até pq a minha antiga era mt longe, foi onde conheci meus três amigos, Fars, Kars e a Lars, a gnt sempre saía juntos e tals, zoavamos, enfim, éramos um quarteto bem legal até. Nisso, eu ainda estava com a Chibi, e já não nos víamos a bastante tempo (cerca de 1 mês), ai minha amiga Rars (a mesma que me apresentou a Chibi e que por sinal era minha melhor amiga na época) pergunta como estão as coisas com a Chibi, eu respondi que estava tudo bem e que estava até andando, vendo as circunstâncias, enfim. Uns 5 dias depois, eu pergunto pra Chibi como ela estava no curso que ela estava fazendo, conversa vai, conversa vêm, ela me fala de um cara, mas assim, não foi tipo..... Passageiro sabe? Foi meio que na cara assim, ela marcou o nome dele meio q indiretamente, falando disso e aquilo, eu não sou idiota de reclamar e tals, mas sla, foi estranho. Me sentindo BEM GAIADO (corno, n sei se sabem o que é gaia né kks), vou falar com meus três amigos, e um deles, o Kars, diz que gosta da Lars, e eu tento arranjar um esquema pra ele, até pq eu gostava bastante dele e queria ver ele junto com Lars, e foi o que eu fiz, tentei, tentei e tentei, mas nada dos dois ficarem (nota:isso tudo sem o Fars saber), se passam alguns dias, e o Fars fala que também gosta de Lars, e eu, amigo legal como sou, tento "convencer" Lars a ficar com ele também, chega um ponto em que o clima está muito pesado, apenas eu no meio do tiroteio de mãos atadas, depois de um tempo tentando arranjar os esquemas, Lars fala que não quer ficar com nenhum dos dois, algo que realmente me deixou chateado, não por causa dela ter recusado eles, mas pelo o tempo que jamais terei de volta, enfim, depois de uma boa semana (e se lembre, me sentindo corno) resolvo dar o troco naquele sentimento que a Chibi me fez passar, fui até Lars e tentei fazer um esquema para mim, pois eu já sabia o que ela gostava de tanto que eu tentei arranjar esquema pros outros dois, e deu certo, chegou um ponto em que eu traí Chibi com Lars (claro que eu fiquei num lenga lenga, mas isso é algo até bom, pq depois daquilo eu sou bastante direto no que falo), primeiramente me senti aliviado por só ter tirado aquela coisa da minha cabeça, talvez ser corno não seja tão ruim quando se está com um parceiro, não é? Depois senti que devia terminar com Chibi, até pq não estávamos conversando tanto, e já estava bem claro que não poderíamos mais namorar, foi aí que me vêm a mensagem dela, Chibi também queria terminar, o que não era tão assustador assim, CONVENHAMOS. Bom, terminamos, e eu segui meu rumo, passam umas semanas e eu tenho a notícia que Chibi começou a namorar aquele menino de quem tanto falava, e mais, Rars me disse que Chibi só estava comigo esperando ele terminar seu namoro, foi quando eu fiquei P*TO, disse para Rars contar que dei gaia na Chibi (sim, ela não sabia), até pq eu não estava com paciência e não queria falar com ela (coisa bem infantil), Rars conta para Chibi, que não fala mais comigo e começa a me odiar, obviamente, e então se passa cerca de 2 meses, aonde eu começo a namorar Nars, que por sinal foi realmente um ótimo namoro, mas que por conta da minhas condições (eu tenho um distúrbio mental chamado Borderline, que pfvr, se quiser me entender um pouco nessa história, pesquise um pouco, tá mais para personalidade, mas relevamos não é mesmo?), eu simplismente termino com Nars, pois não estava bem emocionante e precisava pensar. Um tempo passou e eu me encontro recuperado, tendo apoio de profissionais aos quais eu ainda tenho que ter, pois é algo que não posso controlar tão facilmente, então tento voltar com Nars, MAS CHIBI DESCOBRE ISSO, CONTA PARA TODO MUNDO O QUE EU FIZ (possivelmente não contando a sua parte, eu não sei), CRIA UM GRUPO AONDE TÊM SUAS AMIGAS ME XINGANDO E RIDICULARIZANDO, E POR FIM, DIZ AS SEGUINTES PALAVRAS (isso após uma longa discussão do quão ela e eu fomos babacas):
-Narns não precisa de você o abandonando, tendo você na cabeça o dia todo, ele se sente mal falando com você e suas palavras o machucam, se você o ama, deixe ele em paz.
Me estressei e discuti com ela por um longo tempo, até que paro de falar com Chibi e Nars. Um bom tempo se passa, e Nars me manda uma mensagem, pouco a pouco voltamos a ser amigos, mas comigo gostando dele, mas se sentindo culpado e não podendo falar o que sente, com medo de perder a amizade. Passa-se um tempo, as conversas desenrolando, aquele sentimento ainda ali, depois de (acho, eu realmente sou MT ruim de memória) 3 meses, eu me declaro para Nars. Hoje em dia, estamos namorando, eu e Chibi nos desculpamos e agimos de forma madura, assumindo os erros e realmente olhando para trás e dizendo o quão babacas nós tínhamos sido, eu e Nars reatamos (para ele não foi um tempo, mas para mim sim) e, pelo menos para mim, estamos a quase 5 meses juntos, o que me orgulho bastante de falar é que sou feliz com ele, infelizmente minha família não apóia minha decisão, por isso deixo em segundo plano, apenas treix primas minhas sabem e apoiam com toda força, ele e eu queremos nos mudar para bem longe, aonde realmente poderemos ser felizes, venho aqui contar essa história, pois sei que, se conseguirmos viver juntos, vamos olhar para trás e nos orgulhar e dar risada do que passamos. Desculpa essa melancolia e melação, mas eu amo ele, e ele me ama, me desculpa essa Bíblia, mas espero que seja um bom entretenimento. Obrigado se você leu até aqui, se eu apareci no vídeo, é uma honra estar aqui Luba, você é uma grande inspiração para mim e acredito que para muitos É isso, muito boa noite, tarde ou qualquer outro plano existente :3
submitted by MarcoDino to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.11 20:37 darwinson-chan O dia que minha namorada me expulsou do armario

Olá lubixco, editores, papelões (ou restos deles...), possível convidado (q n deve existir pela quarentena), turma que está a ver ou ler e pspsps gatas (já que não olham mais pro luba, dêem atenção pra mim).
A história não é bem engraçada, mas talvez possa ajudar alguém ou até fazer algumas risadas... Espero que gostem!
"O dia que minha namorada me expulsou do armario sem querer"
Então para esclarecer, eu me descobri bissexual no 9 ano e comecei a namorar uma garota no médio. Nunca fui de pegar ninguém então acabou que ela foi minha primeira namorada e a unica pessoa que eu tinha beijado.
Eu e essa menina, que na época se chamava Isabele e é assim que a chamaremos aqui, tínhamos um relacionamento legal, assistiamos anime e, as vezes, íamos no shopping com algumas amigas (o que era mais uma desculpa que qualquer outra coisa, mas tudo bem). Mesmo assim ela ainda fazia algumas piadas sobre minha sexualidade, meio bifóbicas, tipo "bem que você podia ser 100% sapatao" ou "não precisa fingir ser meio hétero", enfim...
Quando tínhamos uns 2 meses de namoro, saimos em um rolê com umas amigas pro cinema. Estávamos sentadas na frente do Starbucks (ela com alguma bebida de lá e eu com a casquinha do Mc pq eu sou pão duro) enquanto as outras "compravam o ingresso" (provavelmente n queriam segurar vela ou estavam atras de algum boy).
Entao Isabele disse que tinha que conversar comigo. Ela tava meio estranha nas últimas semanas e eu já tremi na base, achando que tinha feito algo errado, que ela ia terminar comigo ou algo assim. Isso começou a me deixar meio nervosa (e eu tava meio instavel pela TPM).
Entao a Isabele falou algo tipo: "Eu nunca me senti bem comigo mesma sabe... nao me identifico muito com o meu genero..." então ela falou que estava questionando o próprio gênero (há algumas semanas ela confirmou isso). Eu falei que tudo bem, que ia gostar de qualquer jeito, que amaria elu independente do genero. Isabele disse que estava pensando também em mudar o nome e eu apoiei e taus (mas continuarei chamando elu por Isabele por pedido próprio para não expor).
Elu veio por trás para me dar um abraço, o que eu achei estranho pq como eu ainda não tinha "saido do armário" pra mt gente nao costumavamos ter essas demonstrações publicas e muitas pessoas achavam que éramos amigas. Dada a situação não me importei, NÃO É COMO SE ALGUÉM FOSSE ME RECONHECER. Então elu disse no meu ouvido...
Eu respondi que eu era bi, mas podia amar elu mesmo assim. Além disso, na minha cabeça, se eu fosse lésbica não poderia gostar delu, já que se identificaria com outro genero.
(Algumas pessoas consideram que bissexuais podem gostar apenas de dois gêneros e eu nao tinha certeza na epoca. Hoje já tenho mais certeza pois vi um vídeo de uma tiktoker que me representou( https://vm.tiktok.com/T6aeL). isso meio que me pressionava e me dava umas crises de identidade fodas. Mas tudo bem. )
Depois de uma breve discussão, que eu não lembro o q tínhamos falado, Isabele perguntou de novo, meio pra baixo meio irritade e falou que eu não podia ser bi se eu ainda gostasse delu. Eu, como a pessoa calma que sou, acabei gritando "não posso o car...valho!" E concluí "Pensei que te amar fosse o suficiente" e atraí um pouco de atenção, havia alguns grupos adolescentes próximos olhando (guarde essa informação, ela é bem importante).
Acho que elu ficou magoade com aquilo e eu me senti muito mal, mas qual o problema em eu ser bi? Além disso elu sempre soube que eu tenho muitos problemas quanto a isso e mesmo assim ao inves de ajudar com minhas crises fazia piada. Mesmo que não soubesse a real intenção, se Isabele estaria fazendo as piadas pra me acalmar ou talvez me fazer admitir ser lésbica. Enfim não sei
Anyway, eu não devia ter gritado, elu ficou brave e explodiu tb, dizendo que eu tinha preconceito com pansexuais por não me admitir ser. E do nada o assunto mudou "Aliás por que você não sai da porr* do armário, em cara***?! Não tem orgulho de sermos um casal? ".
Isabele queria muito que eu falasse pros meus pais, já tinha dito que se sentia mal em esconder isso. Os pais delu são de boa então ela contou pra elus e pediu pra manter segredo, mas eu não contei nem pra todos meus amigos. Elu queria muito se apresentar como meu namorade, mas eu sempre disse pra elu esperar e elu ficava chateadu.
Bem, até agora, Quem é o babaca? (Deixa nos coment com um * pra eu saber que está se referindo a esse momento)
Continuando: eu, que já sou chorona, naquele dia estava bem pior. Como eu sempre faço, sai correndo pro banheiro, bem clichê mas é.
Uns minutos depois a minha amiga, que vamos chamar de Ana, foi atrás de mim, me ligou. Eu tava trancada numa das cabines do banheiro, só atendi e falei que tava no banheiro e ela me achou por causa do tênis que eu tava usando, que tinha uma faixa de arco íris na sola (alias como ela viu o meu tênis sendo que eu tava na última cabine, nao sei. só espero que não seja do jeito que eu imagino).
Ela me acalmou e taus, naquele momento o que eu mais sentia não era ódio delu e sim de mim mesma, eu não tinha o porque de ter gritado, descontei nela os problemas das minhas próprias crises.
Enfim, o resto do role meio q miou né? Eu fui pra casa da Ana pq se meus pais me vissem com aquela cara iam perguntar. Eu tava digitando um textinho de desculpas quando ela me parou e mandou eu olhar o twitter no perfil de Isabele. Eu olhei e já notei de cara uma indireta: "Acho que fingir 'ser alguem que você nao é' é péssimo. Mas pior é mentir para os outros e continuar mentindo." Quem manda indireta no twitter? eu não uso muito, então não sei se é normal mas subiu o ódio de novo.
O dia não podia piorar né? Mas o problema é que a situação nao acabou aí.
Lembra que eu disse que tinham muitos adolescente lá? Então, acontece que esse shopping é perto do colégio onde eu estudo então geral vai la e entre eles estava uma aluna do colégio, vamos chama-la de Carls.
A Carls era da minha série e, como adolescente nao sabe cuidar da própria vida, não só contou pra umas amigas, como também filmou uma parte e postou no snap. Hoje me abomino por ter pintado metade do meu cabelo de vermelho pq provavelmente ela me reconheceu por isso. Sabe aquela garota que gosta de espalhar fofoca por aí e age como se não tivesse feito nada de errado? bem era a Calrs.
E como adolescente também adora uma fofoca ou jogar lenha na fogueira, de repente virou um rumor. Alguém tirou print e o negócio meio que espalhou. Lembro que naquele dia chegaram a colocar no stories do insta do colégio (o insta que é meio que um blog dos alunos do médio) uma enquete se nos shippavam ou não.
O twitter de Isabele era privado, o que talvez diminuiu o alcance, mas não o suficiente pra elu perceber o que estava acontecendo. O post foi suficiente pra confirmar que eramos nós brigando e tiraram print do post dela, então adiantou nada a conta ser privada. As pessoas das nossas séries perguntavam pra mim se era verdade, tratavam como se fosse um plot de uma série americana.
Enfim talvez esteja parecendo maior do que realmente foi mas, para dar uma ideia mais realista, boa parte do segundo do médio comentou sobre isso em algum momento (pq, por Isabele ser "diferente" e abertamente, as pessoas conheciam elu, a maioria inclusive apoiava) e alguns grupinhos de colegas que pelo menos me conheciam falaram comigo. Essa situação, por conta de alguns comentários no twitter (não muito gentis), chegou na coordenação, a orientadora foi legal, chamou a gente no fim da aula e disse que se houvesse qualquer preconceito podia falar com ela e taus. Isso tudo em uns 3 dias. A gente conversou com calma, eu ainda amava elu, mas não tinha muita certeza se deviamos voltar.
A situação chegou nos meus pais. Eu tive que explicar tudo pra eles. Não foi tão ruim, mas eu queria ter uma outra oportunidade ou sla. Fiquei de castigo por causa dos roles e por não contar, sem celular por uma semana.
Eu e elu tinhamos evitado nos falar na escola pra diminuir os boatos. Depois disso ainda não tínhamos nos perdoado totalmente, apenas evitamos. Eu fiquei com outras garotas e entao começou a quarentena (fazia pouco menos de meio ano desde todo esse role) e com isso as paranoias: Eu nunca cheguei a ficar com nenhum garoto, muito menos a namorar. Nao sei se sou pan, bi ou lésbica, até pq eu me meti numa situação em que meu companheiro se descobriu agenero no meio do relacionamento. Talvez eu seja lésbica e causei esse furdúncio pra nada?? Acho que essa situação colocou ainda mais pressão infelizmente e, sei lá, as coisas são confusas as vezes.
Semana passada Isabele me chamou no whats, conversamos e nos perdoamos devidamente e ainda sinto um sentimento por elu. Ai meu Deeeeus eu vou morrer sozinhaaa.
Enfim, espero que tenham gostado (foi mal pelo textao). Todos os que estão passando por essas crises de sexualidade, genero ou whatever, durante a quarentena, fiquem fortes, posso não ser a melhor pra dar apoio, mas tudo vai ficar bem. Desculpa pela historia longa
Beijos, =30
submitted by darwinson-chan to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.28 12:39 NayhAlmeida Sou babaca por não contar para minha família que estou a um ano morando fora do Brasil?

Olá galera, criei essa conta só para contar essa história. Desculpe os erros de português,estou muito nervosa e me sinto muito estranha contando isso.
Me chamo Nay, mas vou preservar minha família dessa exposição então não usarei os nomes deles. Nasci de uma gravidez indesejada, não convivo com meu pai e minha mãe me deixou com minha avó para viver com meu padrasto, pois na época ele exigiu que eu não existisse entre os dois, então eu morava com minha avó, meu avô, meu bisavô João e meu tio. Minha família é muito conservadora, é de interior de Minas e é muito fervorosa religiosamente, com isso eles sentiram muita raiva da minha mãe com isso tudo, na época meu tio tinha 15 anos e era o prodígio da família, pois iria ser padre, e meus avós faziam de tudo por ele até eu nascer e tomar toda essa atenção e cuidados, meu tio ficou muito irritado alguns primos falam que ele falava que eu estava dormindo quando pequena só para que as amigas da minha avó não fosse me visitar, o tempo passa eu já com 12 anos e meu tio foi "rejeitado" na escola dominical com decidiu fazer faculdade, mas meu bisavô decidiu em vez de ajudar ele nos custos e essas coisas, que teria prometido antes, ele me colocou em um Colégio particular bom da minha cidade, pagar cursos de pintura (que amo) e essas coisas, meu tio ficou com muita raiva de mim e quando todos não viam ele me batia e fazia com que tudo de errado da casa caísse sobre mim, exemplo quem quebrou isso? Deve ter sido a Nay, minha avó não gostava das minhas atitudes já que eu não ia a igreja com ela, detestava rezar o terço e isso piorava com o que meu tio fazia, meu bisavô morreu quando tinha 12 anos e então esse ano foi péssimo entrei em depressão, todos me acusavam de não dar valor o que meu bisavô fazia, por conta de não ir com ele na igreja, enfim repeti na escola por faltar, pois nem a aula queria ir emagreci, tentei coisas contra minha vida, mas minha avó achava isso frescura de adolescente querendo aparecer. Daí pra frente minha vida foi um inferno, comecei a trabalhar em um emprego de meio expediente depois das aulas, minha avó começou a exigir que eu pagasse contas da casa para ajudar, mas com tempo ela começou a exigir que eu pagasse a estadia, que se eu morasse ou estivesse em hotéis eu estaria pagando mais. Então eu pagava tudo com contas equivalentes que minha avo fazia, tipo conta 300 dividia por moradores e eu pagava minha parte.
Nota: ate meus 15 anos.
A mãe de uma amiga minha ficou mal com aquela situação que eu passava e perguntou se eu queria morar com ela em Belo Horizonte, juntei meu dinheiro e fui, minha família deu graças por não ter esse peso, meu tio na época morava sozinho com seu amigo no rio de janeiro já estava formado na faculdade e trabalhava lá.
Passada uma semana que estava em BH fiquei sabendo que a cidade toda estava de fofocas, principalmente nos eventos da igreja que minha avó ajudava, sobre minha família ter me "expulsado de casa", pois era assim que eles pensavam, fofoca ne, então minha avó começou a me ligar pedindo pra que voltasse que tudo iria mudar, mas eu já estava bem, trabalhava meio período, estudava e adorava ter paz quando chegasse em casa, minha avó começou a me chantagear falando que se eu não voltasse ela iria morrer e dramas dessa forma, que estava mal por não estar comigo. Então numa tentativa desesperada minha avó fingiu estar mal e pediu o médico que a internasse no hospital para fazer exames, já que ela estava muito mal, sim na minha cidade alguns médicos fazem TUDO que você pede se pagar. Então nessa hora meu tio me liga dizendo que se eu matasse minha avó ele iria ate no inferno me buscar, fez um escândalo com a mãe da minha amiga dizendo que eu fugi de casa, publicou isso em todas as redes sociais com minha foto, falando que eu era a pior pessoa do mundo pra minha família que minha avó estava doente por conta minha, detalhe que naquela época eu tinha no meu Facebook meu chefe e amigas de trabalho, então fui demitida em uma conversa estranha sobre eu ser uma pessoa melhor e voltar pra minha família, chorei muito e voltei. Quando cheguei minha avó estava em casa com a cara mais plena do mundo, falou que não sabia que meu tio fez aquilo, que ela não pediu isso e que ela nem estava tão mal assim, que não tinha culpa e eu voltei por quis, dai pra frente no natal e reuniões de família eu evitava meu tio, minha avó vê meu tio como o menino de ouro dela que nunca a decepcionou então para ela meu tio fez certo. Dai até os meus 18 anos trabalhei e estudei, pagava a minha moradia e não tinha amigos, pois para minha avó ninguém tem amigos e que amigo é só Deus, que todos me invejavam e essas coisas então minha avó arruinava minhas amizades falando e fazendo coisas e depois fingindo que não fez. Chamava minhas amigas de vagabundas quando eu não estava em casa para não me chamarem que eu não ia sair com aquele tipo de gente.
Então com 18 anos conheci meu ex ele morava em outra cidade no caso uma cidade universitária, ele estudava lá, mas ele nasceu na mesma cidade que eu então a gente se conheceu por isso, expliquei para ele como era minha família porque sei que não é fácil pensar isso deles já que são muito ligados a igreja e a família dele também, vou pular uma parte longa do começo do nosso namoro até ele descobrir os podres da minha avó pois não é o foco, enfim eu fui fazer faculdade na mesma cidade que ele, consegui auxilio alimentação da universidade e moradia então morava no campus e comia lá, era bem puxado pois fazia matemática e dividia quarto com mais 3 pessoas que nem conhecia, mas era necessário eu queria ter paz na vida, eu não entrei na faculdade por querer algo como me qualificar eu só queria sair de casa, minha família ficou orgulhosa por vários motivos, primeiro que meu ex era de "boa família", segundo que eu estava fazendo faculdade federal e então estava tudo ótimo para eles certo? Errado eles me cobravam constantemente pra terminar meu curso, quem é de exatas entende o quão tenso é você decorar 1 milhão de fórmulas e na hora da prova não saber qual é a primeira que irá usar e o branco vir, então no começo a adaptação é tensa, cobrava que eu casasse com meu ex no caso já estavamos com 2 anos de namoro e morávamos juntos nessa época, mas como disse eu e ele não ligavamos pra eles, eles me mandavam dinheiro através da conta do meu ex para que eu possa comer algo, era bem pouco mas ajudava sim não posso negar, pois comprava pão e leite, eu já ia para casa só nas férias e minha família continuava querer cobrar minha estadia quando ia, exemplo: você ficou 10 dias, então com a luz, água e x o valor fica xx, eu achava isso um absurdo, pois eu ia só para visitar minha família (obs.: minha mãe separou do meu padrasto e teve minha irmã com isso as duas foram morar com meus avós, então eu ia para ver ela) Mas com o tempo passei a ir só no natal e voltava antes do ano novo, então não dava tempo de se meterem na minha vida, o tempo passou e meu namoro já tinha virado mais amizade que amor, então decidimos separar, mas não falamos para minha família logo, ja que na visão da minha avó eu não consigo me virar sozinha sem meu ex, e nenhum homem será bom que nem ele, então mantivemos essa mentira por um tempo e quando contei minha família achou que seria uma fase e que a gente voltaria logo, sendo que já tínhamos superado e já tínhamos ficado com outras pessoas, passa o tempo e em 2019 decidi que iria viajar, queria a muito tempo, mas meu ex não programava falava sempre um dia e um dia, mas acabava que nunca chegava esse dia, então decidi mesmo que minha família brigue por viajar sozinha eu iria, tinha juntando dinheiro e queria viajar para fora do Brasil. Em outubro de 2019 eu conheci meu atual pelas redes socias, iria viajar no ano novo decidi que seria para Portugal e então comecei a olhar as coisas do país, onde ficar e com isso acabei falando com ele, ficamos íntimos muito rápido e na primeira semana falávamos de tudo um com outro, conversa vai e vem e eu decidi que iríamos nos ver assim que eu chegasse. Mas com o tempo essa paixonite ficou mais séria e eu e ele só pensavamos o que fazer quando eu voltasse pro Brasil e ficasse longe, porque pra mim uma viagem dessa seria de 5 em 5 anos, e ele é militar acaba que não tem tempo também para viajar, então decidimos com ele que eu iria ficar lá com ele (não foi assim do nada foi pensado e seria um teste se desse errado eu voltava), mas sim faltava 3 meses para isso, então eu arrumei as coisas, resolvi questões já que morava sozinha então tinha coisas a fazer e resolvi que faltando 1 semana pra ir eu iria para minha cidade falar com minha família sobre isso, pois não daria tempo deles tentarem arruinar esse meu desejo e eu queria que fosse algo leve que eu explicasse que eu teria dinheiro e se eu quisesse voltar eu voltava, mas quando cheguei em casa a minha avó mandou eu fazer comida, pois não tinha comida para mim lá e que eu podia fazer mas reclamou e reclamou que eu não estava com meu ex e falava pra eu dar orgulho para ela, eu travei e não consegui falar, enfim viajei, pedi conselhos ao meu ex, pois ele mais que nunca sabia como era isso tudo e ele disse que assim que eu arrumasse emprego em Portugal, mostrasse que estava aqui, explicava tudo e falava que estava bem e trabalhando e no caso até poderia mandar dinheiro pra ajudar eles (algo que eles iriam ficar "orgulhosos"). Mas o destino meus amigos, o coronga entrou em ação quase 1 mês depois que estava aqui e ficou impossível de conseguir emprego, minha avó começou a não gostar deu estar sozinha no Brasil e então comecei a mentir falando que estava com amigas e que estava bem, meu tio começou a jogar umas indiretas sobre eu não estar em casa já que eu não fazia mais vídeos chamadas com minha avó, e minha avó falava em voltar sempre com meu ex, eu não consegui falar, pensei que conseguiria ficar com visto de trabalho e que com isso eles não poderiam sei la fazer algo para que eu voltasse para o Brasil, fora que meus sogros já acham estranho essa história de se conhecer pela internet do meu namorado e eu, então pensava que meu tio poderia achar nas minhas redes sócias meu sogro e inventar coisas e piorar meu relacionamento com eles, eu sou extremamente feliz com meu namorado, não sinto o peso da família sobre isso, podemos fazer o que quiser, voltei com meus cachos coisa que minha família detestava e nunca deixava que eu voltasse, ele me apoia e sinto que foi a melhor coisa que fiz é ter dado essa chance pra nós dois. Minha avó detestou que voltasse que os meu cachos mas meu namorado me apoio muito nisso. Minha avó gravou um áudio chorando falando que estraguei meu cabelo que minha mãe e ela viram meu cabelo na foto de perfil do whats que a mesma daqui e que estou péssima devo estar louca terminei meu namoro e agora isso que só faço desgosto e coisas do tipo, respondi com: eu estou linda me amo assim lide com isso. Minha avó de vez em quando manda dinheiro pra mim como presente, ja disse que não preciso, pois vejo que assim ela acha que eu tenho obrigações com ela, mas ela mansa pois sabe minha conta do banco e sempre me convence fala do a compra uma blusinha pra você e talz foi fulana que mandou (no caso fala que o dinheiro é presente de primos, madrinhas meu avô). Em Dezembro desse ano ira fazer um ano que vou estar aqui, pensei que em novembro poderia falar com minha família que iria viajar em Dezembro e fingir que esse meu 1 ano não existiu já que quase não fiz nada aqui por conta do coronga e até lá eu iria tentar me regularizar no país, então não teria a possibilidade deles fazerem algo contra, ao mesmo tempo tenho vontade de falar que já estou aqui quando eles me ligam e tirar esse peso, mas sei que as consequências podem ser muito piores e já que eu aguentei ate agora eu aguento até dezembro. Minha avo me liga regulamente e não sabe do meu atual relacionamento fico mal, mesmo sabendo que se eu apresentar meu atual ela não ira gostar dele da mesma forma que meu ex, por conta dela exigir essa coisa de boa família, eu queria que ela visse o quanto ele me faz bem e como sou muito mais muito feliz com ele.
Eae gente sou babaca de não falar que estou aqui em Portugal para minha avó e família?
Ps.: é irrelevante, mas meu tio é gay, esse amigo dele é marido dele, ele "esconde" isso da minha família, eles tem casa juntos, compraram carro juntos, tem dois dogs juntos, mas contam para todos que são amigos,quando outros familiares falam que acham isso estranho minha avó e minha mãe, ameaçam todos falando que é difamação e que eles vão ter que provar judicialmente. Para minha família isso seria algo horrível, não gosto do meu tio acho ele falso e dissimulado, mas fico mal por minha avó não aceitar ele e mesmo eu sendo heterossexual tenho amigos gays, bi etc... e minha avó não aceita o fato de ter "colegas" (já que pra ela não tenho amigas) bi e lésbicas, pois vão pensar mal de mim e elas só querem me levar para esse caminho do mal.
submitted by NayhAlmeida to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.25 12:10 Dany_Tai Sou babaca por querer sair de casa e não suportar mais os meus pais? (Obs: favor ocultar meu nome se for postar em algum lugar)

Oi Luba, restos de papelão, gatas, muito Improvável convidado e turma que está a ver (vcs são daora)
Meus pais são extremamente conservadores e religiosos (São testemunhas de Jeová), controlam cada aspecto da minha vida. Controlam meu celular, meu namoro, e até com que posso fazer amizade. Tenho 15 anos de idade e não suporto mais os meus pais na minha cola o tempo todo. Eu vou contar um pouquinho da minha vida pra vcs entenderem.
Bom, primeiro que eu fui um acidente né, segundo que meus pais queriam um menino, terceiro que eu sou quase tudo o que eles querem que eu não seja.
Minha irmã nasceu quando eu tinha dois anos, até aí beleza, mas meus pais queriam que fosse um menino. Aí entra meu irmão na história, ele nasceu quando eu tinha quatro anos, e claro que eu era deixada de lado, afinal, um recém nascido e uma criança de dois anos precisam de mais cuidados do que uma criança de quatros anos. Eu nunca me dei bem com a minha mãe, isso é fato, todo mundo sabe, mas com meu pai ERA diferente.
Aí fui crescendo e tal, superei o bullying na escola, alguns corações partidos, e também a pior coisa que me aconteceu no fundamental. Eu não tinha muitas amigas, e depois do que minha mãe fez, passei a não ter nenhuma. Minha mãe HUMILHOU todas elas, chamou elas todas de putas e de "meninas faceis", disse que não tinham caráter e mais um monte de outras coisas horriveis. Eu fiquei passando o intervalo das aulas sozinha durante um ano (as vezes me escondia no banheiro porque os meninos ficavam me zoando), um ano pra fazer uma única amiga (a qual meus pais não gostam, porque ela tem um filho). Eu comecei a namorar (no início foi escondido, porque eu sabia que meus pais não iam aceitar), quando contei pros meus pais, eles nos encheram de regras como: Só poder se ver uma vez por semana (agr só podemos nos ver uma vez por mês, mas isso é outra história); não poder dormir na casa do outro e, se dormir, em quartos separados (agora nem podemos mais ir na casa do outro, faz quase 5 meses que ele não vem aqui, e eu vou pela primeira vez em 5 meses na casa dele, porque estamos fazendo um ano de namoro mês que vem) e outras coisas nada a ver.
Meus pais gostam de ficar jogando as coisas que eu já fiz de errado na minha cara, bem como meus irmãos. Meus pais dizem que a culpa dos meus irmãos serem uns demônios é porque eles estão seguindo o meu exemplo. Minha mãe já chegou a dizer que sou a decepção da vida dela, e meu pai uma vez disse que não consegue ter orgulho de mim, só vergonha. Já estou acostumada com insultos vindos dos membros dessa "familia".
Eu não sei o real motivo, mas suspeito que meu transtorno de ansiedade seja causado pelos meus pais, porque além deles serem assim, exigem muito de mim na vida acadêmica, além de ter que ser "dona de casa", e também uma boa reputação, porque "sou filha de servos de Deus".
Eu queria saber o que vcs acham, as vezes sinto que sou muito hipócrita por sentir "odio" por meus pais. Eu sei, foram eles que me criaram, mas eu não consigo amá-los, e as pessoas me fazem sentir horrível com isso.
Em fim, é isso. Desculpa o texto longo.
Edit1: Esclarecendo dúvidas
Edit2: mais dúvidas kkk
Não tenho como arranjar um emprego por alguns motivos, como:
• A minha cidade não oferece jovem aprendiz em nenhuma empresa é, se oferecesse, teria que ser junto com um curso, e eu ficaria totalmente sem tempo.
• Se as aulas presenciais voltarem vou ficar com menos tempo ainda, pq estudo em outro cidade. Por exemplo, eu tenho que acordar às 5 a.m, pra pegar um ônibus as 6 a.m, chegar na escola as 7 a.m, e estudar até 5 p.m, aí ir embora e chegar em casa as 6 p.m.
Acho que é isso.
BEIJO SEUS LINDOS ❤❤
SE CHEGAR NO LUBA EU ZEREI A VIDA ( P.s:Te amo Lubixco)
Obrigada por todos os conselhos e boas vibrações, eu adoro vcs❤
submitted by Dany_Tai to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 02:28 mamamarquinhos Relacionamento tóxico (fui o babaca da história?)

Olá Luba, editores e possível convidado. Hoje vou contar uma história sobre um relacionamento que terminei recentemente e queria uma opinião.
Deixando bem claro logo de início que darei vários detalhes, então certamente vai ficar beeem longo.
Bom, tudo começou em março, conheci uma menina no colégio, papo vai papo vem e decidimos começar a ficar. Ela me passava uma visão muito perfeita dela, que ela era atenciosa, carinhosa, que me respeitaria, era fiel, resumindo, uma pessoa ótima pra namorar. Então, nos conhecendo a apenas um mês decidimos tentar levar mais além o relacionamento, eu pretendia a pedir em namoro mas teve a quarentena, e como não ia pedir a guria em namoro pelo WhatsApp decidi esperar a quarentena terminar.
Mas, aí que está o problema, após o início da quarentena parecia que eu estava me relacionando com outra pessoa, ela era grossa comigo, me tratava mal, me desrespeitava muito, mesmo comigo dava espaço para outras pessoas darem em cima dela, enfim, era outro ser. Eu pensei que tudo que estava acontecendo era por conta da quarentena, que tá todo mundo muito doido e que ela estava tendo uns problemas, então relevei por muito tempo, mas começaram a acontecer umas coisas que não consegui suportar quieto.
Quando começou a quarentena a gente começou a conversar muito mais, só que tinha um problema nisso, ela SEMPRE falava de coisas do passado dela. Ex: “Eu amava quando meu ex fazia isso” “Quando eu estava pegando tal cara” “Teve uma vez que fizeram tal coisa comigo” e é complicado ouvir esse tipo de coisa, primeiro pq não tem sentido nenhum eu saber histórias de ex peguetes dela, e segundo que eu tenho problemas de autoestima (ela sabe disso), então eu começava a me comparar muito com esses caras, e isso só piorava minha situação.
Outra coisa que acontecia muito, era cortes de clima. Por exemplo, teve uma vez que estávamos falando “coisas inadequadas” um com o outro, e ela começou a falar da minha ex, ou começava a falar das coisas que estávamos falando, mas dizendo que já fez com outros caras. Meio que é o mesmo problema de cima, mas enfim.
Mais outra coisa, ela tinha me passado a conta do Instagram dela, algo que eu nunca quis mas ela insistiu bastante, então acabei colocando. Eu realmente não sei qual era a intenção dela com isso, mas eu só passei estresse, toda hora era um cara dando frete nela e ela dava espaço para eles fazendo isso, e como sou muito inseguro e ansioso acabei vendo algumas conversas dela, algo que não me orgulho, e acabei vendo muita coisa que não queria, e descobrindo que ela mentiu pra mim (um exemplo de mentira foi que ela tinha me dito que nunca mandou nudes pra alguém, e quando eu abri a conversa dela com um cara aleatório só vi coisas que me provaram o contrário), então acabamos discutindo por conta disso e etc.
Outro problema é que por conta disso eu sentia muito ciúmes dela, e acabava ficando muito inseguro dela acabar me traindo e etc, pq ela não me passava segurança disso, eu sempre dei meu máximo para ela se sentir bem, se sentir segura, não precisar pensar que um dia eu trairia ela, mas isso nunca foi recíproco, muito pelo contrário, ela amava me provocar, me deixar irritado, mexer com minhas inseguranças e com minha ansiedade, e tinham os acontecimentos do insta. (Um exemplo de mexer com minha ansiedade. Ela sabe que eu sou bastante ansioso, e numa certa noite ela me mandou a seguinte mensagem no WhatsApp: - Marcos, precisamos conversar sério. - Tudo bem. Aconteceu algo? - Vou dormir agora, amanha conversamos.
E como eu disse, sou bastante ansioso, e eu acabei passando a noite em claro pensando no que poderia ser, e acabou que não era nada de importante, ela só falou que me amava.
Mas só estou apontando os erros dela, vou apontar os meus também.
Certo dia ela me chamou no WhatsApp falando o seguinte (Não tenho print da conversa mas vou tentar ilustrar o que houve):
Daí por diante foi somente ela se contradizendo e etc. Nesse dia eu terminei com ela, pq fiquei bastante irritado com o fato dela estar comigo e querer outras pessoas, infelizmente sou o tipo de pessoa que não consigo controlar minhas ações quando estou irritado, então acabei falando bastante besteira pra ela, eu liguei pra ela, discutimos muito e terminei a ligação falando isso: “Quer pegar homem? Pegue. Quer pegar menina? Pegue. Quer pegar na ro** de Carls (vou explicar essa situação também) pegue. Você está solteira.” E desliguei.
Eu me arrependo de ter dito isso pq acabei sendo estupido, e após isso eu postei dois status falando coisas do tipo: “Obrigado por: Mexer com minha insegurança Acabar com minha saúde mental Piorar mais ainda minha autoestima” Basicamente falando coisas que aconteceram. Eu me arrependo disso também, que mesmo somente falando o que aconteceu, mesmo sem mentir, acabei expondo ela, e não acho isso certo.
Sobre a situação que citei, vou tentar resumir, basicamente um amigo meu me contou que ela brincou de pegar no penis dele mas ela pegou com malícia, mas quando fui falar com ela ela disse que só fingiu que iria pegar mas pegou na coxa dele. Ao meu ver, mesmo sem supostamente ter pego, não é o tipo de brincadeira que se faça estando comprometido. Então me irritei muito e quase terminei com ela na época.
Bom, voltando. Depois de terminar com ela, eu fiquei muuuito mal e comecei a deixar de lado tudo se ruim que já tinha acontecido e só passei a ver o “lado bom”, que era as coisas que aconteciam durante as aulas presenciais, então acabei voltando com ela. Depois de duas horas que eu tinha pedido pra voltar com ela, ela simplesmente disse isso pra mim durante uma ligação: “Se eu tivesse vergonha na minha cara eu dava um não pra você, você tem muita sorte de me ter, terá que batalhar muito, mudar e talvez me reconquistar”
E assim, eu achei isso muita mancada, pq eu tava ali tentando fazer dar certo e etc, e ela me larga uma dessa... enfim. Eu não fiz nada na hora, somente dei uma desculpa e desliguei a chamada.
Enfim, eu penso que de certa forma eu posso ter tornado o relacionamento tóxico, pq acabei sendo muito ciumento e talvez controlador, pq eu acabava cobrando muito dela, pq ela não me tratava bem, dava espaço para as outras pessoas darem frete e etc. então eu cobrava muito coisas que eram para acontecer naturalmente, e isso acabava desgastando o relacionamento, não sei se eu acabei estragando o relacionamento, não sei se era para eu ter me estressado menos e etc. enfim.
PS: dias depois que ela falou aquilo sobre dar um não na minha cara, decidimos terminar. E também tem muito mais coisa, mas eu tentei resumir ao máximo para não ficar cansativo.
Afinal, eu fui o babaca da história?
submitted by mamamarquinhos to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.11 10:38 Killyous-Death As 2 histórias mais estranhas da minha vida #TurmaFeira

Olá Turma, Luba, editores, gatas e o namorado imaginário do Luba. Sou novo na comunidade e sou muito ruim em redação. Sou da Bahia e queria contar 2 histórias q são completamente diferentes uma da outra mas se passa no mesmo lugar.
1- A professora de história
Quando eu tinha 11 anos de idade, fui para um colégio municipal do bairro. Era no ano de 2012 e naquela época eu n estava nada bem. Assim como no colégio passado sofri bullying nesse tbm. Mas com raiva de so sofrer, passei a praticar e depois disso pararam de praticar bullying em mim, mas enfim. No meu primeiro ano nesse colégio a minha depressão estava cada vez pior. Eu n queria fazer mas nada a n ser morrer ou deixar de fazer qualquer coisa. Mas naquele mesmo ano do colégio mesmo sem ir tanto para a escola eu consegui passar, mas fiquei em recuperação de 7 matérias e só tinha passado em uma matéria q foi a de inglês. Mas enfim, eu consegui passar e isso foi a única coisa boa q aconteceu naquele ano. No ano seguinte, eu estava no mesmo colégio e estava no oitavo ano. Um belo dia a professora (pelo qual vou chama-la pelo apelido que deram a ela q nem sabem o significado) Catita estava fazendo a chamada. E quando chegou no meu nome ela perguntou: quem é Carls? Eu sem entender estendi a mão. E então ela falou: então vc é o Carls o mesmo q passou nas 7 matérias da recuperação do ano passado? Eu: sim... Ela: eu vou ser bem direta. Ela se inclinou na minha frente e olhando no fundo dos meus olhos, falou: eu vou fazer de tudo para vc perder de ano, pq teve gente q merecia passar, mas n passaram. Resultado: perdi 2 anos na matéria dela que é história. No decorrer do tempo teve muitas tretas com minha mãe indo lá para resolver e n deu em nada. Minha depressão piorou e ela foi assaltada e detonaram o carro dela. Esqueci de dizer que a maior parte do colégio odeia ela até hj e o significado do apelido q só eu sei é q "catita" é um nome de um ratinho silvestre q está ou já foi extinto e ninguém sabia disso e provavelmente n sabem. Maldita Catita matriarca.
2- A namorada com fogo no.... c sabe
Quando eu tinha 15 anos eu acabei me envolvendo com uma garota até q bonita mas, tachada como doida no colégio, e eu descobri da pior forma. Um dia no colégio estava eu e mais uns 7 colegas jogando 5 corte. E ao decorrer da brincadeira, eu acabei ganhando uhu. Quando terminamos de brincar, eu reparei q uma garota estava sentada isolada no pátio q fica ao ar livre. E ao mesmo tempo tinha uns garotos dando umas boladas no local onde ela estava. N achando aquilo correto, fui até lá e tomei a frente e pedi para o pessoal parar de fazer aquilo com ela. O pessoal parou, e me dirigi até ela perguntado se ela estava bem. Ela disse q n, q estava com dor de cabeça. Então eu falei q ia na diretoria ver se tinha algum remédio. Ela disse q n precisava pois já estava para ir para casa. No dia seguinte perto do horário final, a Zarls (a garota) me chamou para conversar. E ela foi bem direta perguntando se ela podia me namorar. Naquele momento meu mundo parou, pois ela seria minha primeira namorada. Eu pensei e aceitei. N demorou muito para terminarmos. O nosso namoro só durou 15 dias pq ela queria transar comigo. Eu entrei em choque quando ela pediu. Vale ressaltar q eu tinha 15 e ela 13 e ela queria fazer sem preservativos. Eu falei a ela q n e então ela disse q n íamos mais nos beijar até o dia q a gente transar. Eu sou cristão e sabendo q relações sexuais é melhor depois do casamento e com medo do q isso poderia dar, resolvi terminar o relacionamento. Ela ficou triste e disse q eu n ia encontrar mais nenhuma garota q gostasse de mim e q eu iria me arrepender. Depôis disso rolou algumas boatos no colégio q ela tinha me derrubado da escada e me espancado. Claramente uma grande mentira. Ela tbm fugiu de casa e ficou 1 semana desaparecida. Eu poderia terminar aq mas tem mais. Eu sai do colégio municipal e fui para um estadual e n tinha mais notícias sobre ela ou tinha visto ela. Mas um dia q eu estava saindo da casa do meu irmão e voltando para casa, vejo ela. Ela abaixou a cabeça quando me viu e eu notei q os seios dela estavam estranhamente grandes e só se passaram 2 anos depois do nosso término (eu tinha 17 e ela 15). Eu achei q era a puberdade q fez com q ela amadurecesse, mas n, ela estava grávida. Soube depois de ver com os meus próprios olhos. Quando eu estava voltando da igreja em um domingo ensolarado, eu a vi com uma barriga enorme e reparei q ela estava claramente grávida. Ela me viu e diferente de antes, ela olhou para mim e sorriu com orgulho. Ela estava orgulhosa por ter transado. Eu estava pasmo e com nojo, mas n consegui demonstrar por conta do choque. Em um período de 1 mês veio duas notícias horríveis.
1- descobriram com quem ela tinha tranzado, e era o tio dela.
2- ela matou o bebê o jogando em um reservatório de água e deixando lá até o dia q o descobrissem.
Eu nem tive palavras para o q eu tinha acabado de saber, só sei q sentir ódio. Eu falei para mim mesmo q ainda bem q n tinha sido eu q transou com ela pq ao contrário de ela estar no reformatório, era eu que estaria atrás das grades ou num hospício. Pq eu iria trucidar ela e n deixaria o cadáver dela capaz de ser reconhecível. Ela teve o bebê e fez isso.......
Enfim essa foi as minhas histórias. Eu queria q fosse fake, eu realmente queria q tudo isso fosse uma grande invenção da minha cabeça, mas infelizmente n é.
Ps: Hoje tenho 19 anos e eu consegui superar a depressão, mas fui diagnosticado com transtorno de ansiedade. E agora tenho q fazer consultas com o psicólogo toda semana por conta de diversos problemas q aconteceram além desses e por isso as vezes tenho ataques de pânico. Antes era mais frequente os ataques, mas agora estou melhorando e sem uso de remédios.
Espero q veja Luba. Gosto muito do seu canal e espero q cresça muito mais.
Vc é uma pessoa adorável.
submitted by Killyous-Death to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.10 22:55 JuzinhacomZ Ajudaaaaaa

Oiii Luba, editores, possível convidado e turma que está a ver Bem eu vou contar uma pequena história de nice ex namorado, sou portuguesa para caso não entenderem algumas palavras ou o texto parecer estranho. Eu namorei um cara durante 2 anos, ele era um completo idiota comigo, super controlador, eu não podia literalmente ter amigos homens, além de controlar as roupas que eu usava Depois de desperdiçar 2 anos da minha vida com ele eu descobri que ele me traía com uma rapariga que eu nem conhecia e que por sinal era muito muito linda, ô gaija linda. Então eu fui lá ter uma conversa com a rapariga, ela já sabia do problema todo e não parava de chorar, sempre a dizer que não sabia que ele era comprometido e tals... Eu comecei a falar com ela e aproximam-nos bastante, e eu comecei a apaixonar-me por ela, para minha felicidade eu soube por uns amigos em comum que ela tinha dito que queria ficar comigo, então nós ficamos nisso até que ela me pediu em namoro e eu aceitei sem pensar duas vezes, e agora aquele escroto está bué chateado porque eu estava a namorar com a ex dele(A RAPARIGA ERA EX DELE TAMBÉM). Quando soube disso fiquei com mais orgulho ainda embora o meu peso na consciência meio que subiu, porque eu fiquei com ela por vingança acabei por me apaixonar...
View Poll
submitted by JuzinhacomZ to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.10 05:39 allydunno Completamente perdida no vazio.

Aviso: desabafo muito grande e desorganizado cronologicamente e até ortograficamente. Sei que já exclui esse post várias vezes e coloquei novamente, peço perdão.
Não tenho tanto a reclamar da minha vida apesar de não querer ela, ela nunca foi extremamente ruim, tive os brinquedos que queria e de início uma família reunida. A memória mais vivida que tenho é do bullying. Entrei em uma escola aos 11 anos e foi lá que tudo começou a desandar. Fiz um grupo de amigas inicialmente que no fim eram tudo menos minhas amigas de verdade. A minha "melhor amiga" nesse grupo sempre teve problemas psicológicos (tinha problemas com a aparência dela) e sempre tentei ajudar apesar de ser bem ingênua na época mas, acho que não fiz o suficiente ou talvez não tenha sido uma amiga boa o suficiente. Ela dizia na minha cara que me odiava, me fez sentir mal muitas vezes mas ainda sim eu sentia compaixão e empatia por ela, não por pena mas sim porque eu a considerava minha amiga de verdade. Ela chegou a quase me enforcar um dia na escola, e depois passei a entender que talvez ela me odiasse de verdade. Um dia disse que se ela morresse a culpa seria minha e até hoje eu simplesmente não consigo esquecer isso. Não quero pintar ela como a vilã pois sei que ela estava lidando com conflitos internos mas ainda sim, a forma como fui quebrada e estraçalhada nessa amizade é irreversível. Sofri bullying por outras garotas na escola, minhas outras duas amigas desse grupo me humilharam algumas vezes e foi nessa escola que fui literalmente um objeto para satisfação alheia, não importa o quanto aquelas pessoas me machucassem eu ainda estaria ali por elas firme e forte. Eu passei a me arrastar para ir a essa escola, tomava remédios de ansiedade porque toda vez que eu via aquelas pessoas eu ficava extremamente ansiosa (tive problemas físicos com isso), nunca contei nada a minha mãe e para minha vó porque nunca achei que fosse importante. Inclusive gostei de um garoto (perto do meu último ano nessa escola, passei 4 anos lá) mas hoje em dia me pergunto se gostei dele de verdade ou se senti isso porque todos falavam que a gente dava certo junto, e bem, eu queria agradar todo mundo né?...
Aos 15 anos fui para outra escola começar o ensino médio, de início foi incrível uma das melhores coisas, perdi grande parte da minha timidez e parei de tomar remédios para ansiedade. Comecei a gostar de outro menino e com ele tive meu primeiro namoro e meu primeiro beijo, no começo foi mágico mas depois tudo começou a desandar. Ele queria me forçar a fazer sexo/a ter desejos sexuais, me criticava por não conseguir demonstrar meus sentimentos e afirmava que eu não o amava por causa disso tudo. Me destruiu psicologicamente pois me fez perceber o quão fraca e covarde eu sou. Foi nesse mesmo ano que me machuquei pela primeira vez. Novamente, achei que não era importante então não contei a ninguém.
No mesmo ano comecei a gostar de um garoto, um garoto que me amava de verdade, um garoto que teve uma decepção amorosa anterior e que se tornou meu melhor amigo. Em pouco tempo a gente se aproximou, demais. Beijei ele mas decidi acabar tudo antes de começar porque tive medo, medo de machucar ele assim como eu me machuco, medo de não demonstrar sentimentos e ele se decepcionar, medo de perder tudo. Ele se afastou e parou de falar comigo para sempre, até mudou de escola, me senti a pior pessoa do mundo e me sinto até hoje. Novamente não achei importante, fiquei calada
No ano seguinte, no meu segundo ano do ensino médio, comecei a namorar um garoto que todos falaram que não valia nada mas eu precisava desesperadamente de alguém para me ouvir, me abraçar e ele pelo menos disse que faria isso, mas nunca o fez. Lembro até hoje do dia que tive uma crise na escola (por causa de uma briga familiar) e ele ficou do meu lado olhando o celular o tempo inteiro, me senti uma ridícula por estar chorando e sendo uma namorada ridícula e fraca. Ele também insista na questão do sexo e até chegamos a fazer certas coisas nada muito além mas fiz apenas para agradar, não me sinto bem até hoje com isso. Novamente, fiquei calada.
No final do mesmo ano, tive outro relacionamento, fomos amigos de início mas logo começamos a namorar, de início foi bom -como sempre- mas conforme o tempo foi passando tudo piorou. Ele também insistiu na questão do sexo e bem, foi nesse relacionamento que sofri com estupro e diversos outros toques que me incomodaram. Certos toques eu simplesmente deixei porque ele gostava então achei melhor, melhor para ele mesmo eu não me sentindo nada confortável. No estupro, não tinha muita força para entender e minha mente se tornou um clarão mas impedi ele de ir bem além porque sei que ele iria. Estou com esse menino até hoje porque não consigo terminar, tenho medo, medo de machucar ele parece ridículo mas é verdade, me tornei dependente emocionalmente e mesmo querendo muito terminar não consigo fazer isso, agora irá demorar mais ainda com a quarentena. Enfim, não achei nada disso importante suficiente para falar então fiquei quieta.
Houveram outras coisas no meio desses anos, no meu último ano do fundamental meu pai se separou da minha mãe e nunca mais apareceu, não fala comigo, tentou tirar a casa que eu, minha mãe e meu irmão moramos, passou a viver com a nova família dele, não teve coragem de falar comigo nem para dizer que minha avó paterna havia falecido (isso aconteceu no finalzinho do ano passado).
Meu irmão (quando ainda eramos pequenos provavelmente uns 10 anos e ele uns 15) parou de falar comigo, talvez por raiva, tristeza, não tenho a mínima ideia hoje em dia só trocamos diálogos simples porque moramos na mesma casa, ele e minha mãe brigam várias vezes e parecem dois estranhos entre si ao invés de mãe e filho. Sinto falta dele e das conversas que tínhamos, do abraço dele, das risadas, dos momentos que tivemos mas hoje em dia ele está bem diferente, se tornou muito ganancioso e egoísta. Acho que não tive muita sorte com homens na minha vida sinceramente kkkk
Minha mãe e minha avó são os únicos motivos para eu continuar vivendo aqui, sei que as duas não suportariam viver sem mim então continuo aqui. Minha vó sempre se apoiou em mim e minha mãe também então não seria justo simplesmente fazer elas sofrerem por minha causa.
Me tornei um mar de angústia e desespero, me perdi de mim mesma, olho para o espelho e não sei quem está la mas sei que não tenho orgulho dessa pessoa. Sinto saudades da minha infância quando tudo era diferente, hoje em dia, me tornei destruída, sinto um grande vazio no meu peito. Já senti tristeza por mim, vazio, angústia, até mesmo ódio hoje em dia não sinto nada, sinto um grande vazio num imenso mar de solidão, angústia e silêncio. Não acho meus problemas importantes suficientes por isso nunca falo, acho que outras pessoas sofrem bem mais então não devo ficar falando sobre coisas fúteis como as minhas, falei aqui porque não conheço ninguém, ninguém me conhece e vocês serão como as pessoas que vejo na rua, prestarei atenção mas não nos veremos novamente por isso é mais fácil falar. Sinto essas coisas a muito tempo, desde pequena nunca contei nada para ninguém, talvez tenha sido influência do meu pai porque ele sempre foi uma pessoa fria então talvez me tornei assim também. Me acho um monstro por não conseguir sentir as coisas, faço praticamente tudo porque os outros querem me ver fazer ou gostam, usei diversas vezes roupas para agradar os outros, penteados para agradar os outros, enfim... Me perdi de verdade, não consigo mais organizar meus pensamentos porque tudo está se tornando um borrão. Sou extremamente racional então não irei tentar nada sério, apesar de pensar, me seguro aos meus pensamentos sãos. Talvez futuramente eu procure um psicólogo quando for maior de idade, assim não tenho que dar justificativas para minha mãe não estou preparada para contar tudo isso agora. Aos 17 anos me sinto extremamente perdida, não sei se irei conseguir amar alguém de verdade, não sei quem sou mais tenho apenas leves resquícios meus nesse borrão que eu vejo no espelho, não consigo falar o que sinto, sinto compaixão por todos menos por mim mesma, perdi minha humanidade comigo e não consigo mais encontrar, me sinto um objeto para satisfação alheia. Enfim, essa é só uma parte dos meus pensamentos desorganizados, nunca fui boa para escrever sobre isso mesmo, esse é meu desabafo sobre quase tudo.
Obrigada por ler, se estiver sentindo algo parecido comigo, pare um momento e olhe para o céu: olhar para as estrelas e sentir o vento gelado me ajuda às vezes, espero que te ajude também. ❤️
submitted by allydunno to desabafos [link] [comments]


2020.06.09 20:20 Snoo8844 Treido pelo ex e a Naja amiga

[A TRAIÇÃO DO MEU NAMORADO COM A MELHOR AMIGA] (Sou do nordeste, aprende a fazer o sotaque direito poxa)
olá lubisco(sonho em casar contigo), editor (gato gostoso), pessoas a ver, possíveis convidados seres binários e não binários, olá mãe, tia e avó, enfim...
Eu sou G-A-Y (escrevi assim pq tenho orgulho), e me descobri aos 14 anos de idade, passei por vários processos com minha família que não vem ao caso agora, aos 15 eu conheci um menino que era PROFESSOR no cursinho que eu fazia estágio, e a gente na hora do almoço comia junto tendeu? Hahahaha Fomos nos aproximando mais e mais até que um dia ele escreveu uma carta pra mim me pedindo em namoro, eu aceitei e começamos a namorar. Nos dois primeiros anos foi ótimo até que (editor coloca efeito de avançar dois anos aí? Obrigado amado, depois te mando um nudes, brincadeira ksksksksks) Até que eu conheci uma menina num grupo do Facebook, como eu havia dito no começo eu tive uns persegues com minha família, e eu participava de grupos de auto ajuda no Facebook, que foi onde é conheço o desmantelo da minha vida, se eu soubesse teria mandado ela ir pra casa do baralho antes... Mas voltando a história, eu conheci ela e ficamos próximos, (avança mais dois anos) no quarto ano de namoro, eu comecei a desconfiar de certas atitudes deles (da Naja com meu ex), tipo, eu estudava em escola integral, entrava pela manhã e saia a noite, e ELA PASSAVA O DIA NA CASA DELE, aí eu comecei a desconfiar, foi quando eu comecei a dar corda (investigar aqui no nordeste) e deixar os dois mais a vontade, FOI AÍ QUE EU DESCOBRIR TUDO (faz voz de choro) Eu larguei da escola e fui pra casa dele, eu tinha a chave de lá, entrei sem fazer barulho, porque eu sabia que eles estavam lá, mas as luzes estavam todas apagadas, procurei eles pela casa toda (a casa tinha 3 andares) e encontrei os dois lá em baixo desnudos, do jeito que vinheram ao mundo, carls e Darls FAZENDO SEXU cara, meu mundo caiu, eu virei as costas pra eles e fui embora (eu nunca fui de fazer barraco nem de brigar, sempre odiei discutir com alguém), fui embora pra casa de tia Carminha... No outro dia ele (o ex descarado) começou a falar comigo pelo Facebook, me mandou vários print da conversa deles mostrando que ela queria separar a gente, foi aí que eu decidi não me segurar mais, mandei um FUCK YOU MATHERFUCK e bloquiei ele até hoje...
Beijos lubisco, te amo, quero casar contigo, se tiver interesse em saber quem sou eu, vou deixar aqui meu instagram, aceita meu pedido e casa comigo, eu sou tão e boa, diz a tia carminha que eu já amo ela como sogra...
submitted by Snoo8844 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.08 22:42 chara-chan007 Dramatic friends

Olá turma/chat, gatas do luba, editores e papelões sobreviventes que estão a ver. Vim aqui para ser julgada por vocês (podem meter o louco).vamos chamar esse garoto de Arls, a história começa quando o Arls me falou de uma menina, dizendo que essa garota teves vários relacionamentos e que não deram certo, depois completando que a menina gosta dele a 3 anos, mas ele não queria um relacionamento com ela, eu apoiei dizendo que ele deveria tentar mas ele acrescentou que menina morava longe então falei pra ele desistir e seguir a vida. Quando foi no domingo ele me fala que esta namorando essa menina e falei que não apoiava essa atitude pq me preocupo com ele e eu disse a ele algo que não me orgulho muito... Ele falou que era muito drama e egoísmo por minha parte, pois eu ainda gosto muito dele não só como amigo mas sim como parte do meu coração.
(Obs: o Arls sabia que eu gostava dele e não disse nada sobre).
Eu sou a babaca por não apoiar o relacionamento do Arls?(mesmo sendo um web namoro)
Beijo luba e turma <30
submitted by chara-chan007 to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.08 19:56 IogurteSlime Fui babaca por omitir a verdade sobre um "chifre"???

Olá Luvinha,Papelões,Editor,Turma que está vendo,Microfone,e por favor um convidado. Uma história de 2018,um pouco de contexto:um amigo meu (Carls) teve sua primeira desilusão amorosa (ele terminou com a namorada que ele queria a muito tempo pois não aguentou a TPM dela),enfim,depois da desilusão ele decidiu se tornar um garoto que pega todas,um "galinha". Na nossa roda de amigos,Carls sempre contava com orgulho sobre todas as meninas que ele ficava ou estava enrolando,ele enchia a garota de promessas,como dizer que ama ela, e que ela é a única da vida dele,etc,e ele sempre deixava muito claro que ninguém poderia contar as garotas que ele... Vamos dizer... "Iludia" elas. Um belo dia uma amiga minha me manda a seguinte msg: "Oii eu queria falar com você,me responde quando der" Eu respondi e perguntei do que se tratava, e ela explicou: "Então,a algumas semanas eu comecei a namorar o Carls,e queria te fazer algumas perguntas sobre ele" Na hora que ela disse isso eu já estava triste por ela,porque mesmo que eu nunca tenha sido um amigo próximo dela,eu sempre achei ela uma pessoa incrível,então ela continuou: "Eu espero que não seja verdade oque vou te perguntar,pois eu gosto muito do Carls...Mais você pode me dizer se ele diz coisas sobre outras garotas?" Eu fiquei meio em dúvida sobre oque eu deveria fazer,mas eu decidi contar e depois de contar tudo a ela sobre oque ele falava sobre várias garotas e sobre ele sair pra ficar com outras garotas,ela me disse: "Muito obrigado" Ela disse só isso,e sumiu,porém não teve der dado 5 minutos,o Carls me mandou msg (disculpa eu queria ter prints,mais a história já faz um bom tempo que passou,sorry turma) ele disse o seguinte: "FILHA DA PUTA OQUE VOCÊ FEZ,Q RAIVA DE VOCÊ" Eu respondi: "Era direito dela saber oque você faz,ela disse que vocês estava namorando" Então ela continuou: "ERA MEU NAMORO,QUEM DEVIA CONTAR ISSO PRA ELA ERA EU,NÃO TEM PORQUE VOCÊ SE INTROMETER DESGRAÇADO" Depois dele ter me chingando de vários nomes,ele parou de falar comigo por +/- 1 mês,depois disso nunca mais tocamos nesse assunto,porque depois de alguns dias ele trocou todos os seus amigos,por outros amigos,e desde então dificilmente falo com ele (no momento ele está namorando a garota que ele teve sua primeira desilusão amorosa),e a garota que ele enganou está bem. Então essa foi mInHa PrImEiRa VeZ aQuI. Bjs luva(se você ler essa história) seus vídeos estão me salvando das coisas ruins que estão me acontecendo <3
View Poll
submitted by IogurteSlime to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 03:14 luccas373 Acho que sofri racismo (ou quase) num relacionamento.

Há uns anos atrás, quando estava na faculdade, conheci uma pessoa que passei a ter um namoro por uns 6 meses. O relacionamento acabou há 3 anos, mas agora lembrando bem, vejo que certas coisas que se passaram eram um tanto quanto racistas (ou quase).
Não quero acusar a pessoa de ser racista, ainda mais porque ela foi muito importante para o meu crescimento pessoal. Só que andei revendo a situação hoje, mais maduro e sem sentimentos envolvidos e cheguei a conclusão de que ouve alguma coisa meio racista na época.
Gente, para deixar claro, sou uma pessoa negra e estive namorando uma pessoa branca.
Bom, estávamos sempre juntos porque éramos da mesma turma. Sempre voltávamos para casa juntos no mesmo transporte público e nunca tivemos brigas, o problema era quando chegávamos no bairro onde ela morava, lá ela mudava completamente o comportamento, de alguém carinhosa para alguém bastante apreensiva. Ela dizia que não era legal a gente andar de mãos dadas e nem se beijar porque alguém conhecido poderia nos ver. Na época eu aceitava essas desculpas porque achava que ela era uma pessoa tímida ou reservada. Quando estávamos juntos em outros bairros, andávamos de mãos dadas e nos beijávamos com frequência em público, a maioria das vezes por iniciativa dela.
Íamos com frequência ao cinema e era lá que ficávamos mais a vontade e namorávamos bastante. Era meu primeiro relacionamento e estava bastante inseguro, querendo ser o melhor possível.
Nunca a vi como uma pessoa de raça diferente, só gostava dela por ser ela e só, mas é claro que algumas pessoas nos olhavam torto mas eu nunca liguava, também pensei que ela não ligava para isso também.(Será que ela se incomodava?)
Alguns dos momentos que ela mais ficava apreensiva era quando a mãe dela resolvia encontrá-la na volta da faculdade, justo no momento que eu estava perto, mais uma vez ela mudava completamente, seu olhar ficava até assustado. Não sei se a mãe dela ficaria irritada ao me ver e chegar a conclusão que estávamos namorando e “proibir” a gente de se ver ou coisa parecida. Tínhamos até codinomes no WhatsApp para a família dela não saber que estávamos em contato, mas eu não ligava, achava que era alguma coisa particular dela, não sei.
Lembro que ela tinha me contado que os pais dela eram descendentes muito próximos de portugueses e acho que ela sentia um certo orgulho nisso.
O relacionamento foi se desgastando com o tempo, pensávamos de formas diferentes. Bom, ela meio que “afanou” algumas das minhas coisas depois que terminamos e depois disso nunca mais trocamos uma palavra.
Nos víamos na faculdade e pouquíssimo tempo depois ela já estava namorando com outra pessoa, agora branca, que sem muita demora já estava nas fotos com a família dela.(Não me entendam mal, só acho bastante engraçado nós estarmos juntos por 6 meses e nunca ter pisado na casa dela e a outra pessoa com menos de duas semanas já estar com a toda a familia). É claro que ela pode levar quem quiser a sua casa, a outra pessoa poderia ter mais conexão com ela ou coisa parecida.
Não acredito que ela era uma pessoa racista, só acho que ela não tinha coragem suficiente para contar aos pais sobre mim ou parar de se importar com o que os outros vão pensar sobre ela a respeito de com quem namora.
Acho que namorar alguém que não era bem aceito pela família era demais para ela suportar. Nós éramos bem jovens e imaturos e isso era fator que mais pesava na época.
Não tenho raiva dela, só fico impressionado como essas coisas ainda são tão presentes hoje em dia. Gente que tem que esconder quem é por medo de como os outros vão pensar. Pensando bem isso é bem comum né.
Escrevi o relato pois queria contar isso a alguém e quem sabe tirar alguma outra conclusão que não me veio ainda.
submitted by luccas373 to desabafos [link] [comments]


2020.06.06 03:12 docinhodelimaum Web corna mansa

Hi people's,estou aqui para compartilhar algo que me aconteceu na madrugada de ontem pra hoje e espero mtt que os envolvidos não estejam vendo isso. Enfim, eu namoro a oito meses, e eu e meu namorado sempre nos demos mtt bem, e raramente discutimos, mesmo assim eu me sentia mtt insegura em relação de tudo e me acha mtt insuficiente. Sempre prezei pela transparencia no relacionamento, mesmo que eu ou ele ficasse incomodado com a situação e assim iríamos poder resolver numa conversa. Nessa Madrugada, eu a flor da pele dos hormônios da menstruação, resolvi entrar no fcbk do meu amado,(ele sabia que eu tinha acesso ao fcbk dele) e achei umas conversas onde eu me magoei e não esperava, ele apaga bastante conversa pq vi isso em tempo real, ele disse que não falou isso antes pq tinha medo da minha reação, porém eu dei uma segunda chance pra ele, mesmo sabendo que ele podia estar mentindo na mh cara e todos os meu amigos (dps de analisarem clinicamente os prints) dizer para mim não voltar com ele, pois ele estava mentindo e ele ia fazer tudo dnv, porém gosto mtt dele e realmente acho que oq ele falou era vdd e engoli meu orgulho a seco sem direito a copo d'água. Então fui trouxa/babaca de aceitar ele de novo e dar uma segunda chance pra ele (pois isso nunca aconteceu antes e eu realmente confio nele).
submitted by docinhodelimaum to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.04 21:31 lysguil Preciso de conselhos e analisem a situação pra mim por favor

Oi galera, eu queria pedir um conselho para vocês. É em relação a relacionamento e agradeço a quem puder me ajudar nessa, tá foda. Eu estou abrindo minha alma e coração nesse texto, direi toda a verdade
Primeiro me deixem contar algumas coisas sobre mim, isso pode ajudar a entender algumas das minhas ações. Isso não me exime de culpa, sei disso e não vou usar nada disso para me fazer de vítima ou pra me eximir de responsabilidades. Sei que a culpa foi toda minha.
Primeiro de tudo eu não sou um neurotipico. Não tenho autismo mas, embora minha família (meu pai mais precisamente) não tenha deixado que um diagnóstico fosse feito, ficou claro para todos desde criança que eu tinha algo. Eu odeio do fundo do coração o barulho. Odeio sons altos em geral, isso inclui música e por isso não consigo ficar muito tempo em festas. Para aguentar ficar em ambientes barulhentos eu preciso ficar bêbado e ainda assim é bastante incômodo.
A segunda coisa para se saber sobre mim é que sofri abuso sexual na infância. Foram duas mulheres diferentes, nenhuma delas da minha família. Nunca contei pra minha família e acho que nunca irei contar. Bom, não sei dizer como me sinto sobre isso. Acho que minha tara sexual tem a ver com isso. As vezes eu choro quando me lembro mas não sinto anda sobre. É normal isso? Enfim, eu não sei pq quanto isso me afetou. Sofri abuso até os 11 anos e para ser honesto, como homem eu não consigo falar sobre o que a segunda mulher fez comigo. É humilhante demais. Vou morrer e levar isso para o túmulo.
A terceira coisa que preciso contar é que fui diagnosticado com depressão ao 13 anos de idade. Eu era pequeno, magricelo e esquisito. Gostava de cards do Yu gi oh e fixar isolado na biblioteca da escola (Pq era um lugar silencioso), então da pra imaginar quanto bullying eu sofria. Enfim, a depressão me deixou quebrado e teve seus picos. Nessa época tive minha primeira tentativa de suicídio. Minha família nunca soube. No dia seguinte ainda fui pra escola, como se nada tivesse acontecido. Essa foi a primeira de uma série de tentativas.
Agora que já falei essas características eu vou começar a falar meu problema, peço perdão se ficar muito longo. Aos 16 anos eu tive uma namorada e ela morreu de câncer. Isso piorou meu quadro depressivo, eu fiquei agressivo e aprendi a resolver as coisas com violência. Tentei me matar mais algumas vezes e tava foda. Eu tomava tantos remédios para a depressão que ficava grogue, totalmente dopado meio hora depois de tomar. Minha mãe me fez parar, com o apoio da minha vó. Eu estava começando a superar a coisa quando minha vó, a pessoa que eu mais amava na vida, faleceu subitamente. Deus, acho que eu... Bom eu nem sei dizer o que eu sentia. Simplesmente não sei. Doeu mais do que tudo. Depois desse dia eu não conseguia chorar, não conseguia sentir. Fiquei anestesiado sabe? Meu psiquiatra falou UE eu estava num estado de "melancolia", onde eu não conseguia mais sentir felicidade. Eu poderia ficar alegre ou coisas do tipo mas verdadeira felicidade era impossível. Bom, foi foda. Eu tinha 17 na época.
Fiz amizade com uma garota aos 16, Melissa, ela fazia terapia em grupo comigo. Era meio patricinha mimada mas uma boa pessoa. A gente conversava e diziamos nossos planos um pro outro. Ela me ajudou a superar a barra da terapia. Quando eu tinha 18 e ainda estava sentindo o impacto da perda da minha vó, essa garota se matou. No mesmo dia ela pediu pra conversar comigo e eu não estava em casa para conversar (nos falávamos pelo facebook). Eu só fui saber sobre pelas postagens no Facebook dela. Eu não senti nada na hora, achei que não tinha em afetado, anos depois eu ia perceber o quanto me afetou.
Bom, eu segui minha vida. Comecei a faculdade de direito, minha mãe queria um filho juiz e eu tava no piloto automático. Só fui seguindo. Fiz pouco tempo do curso de direito e realmente não era pra mim. No começo de 2018 eu conheci uma garota pela internet. Ela tinha 15 e eu 19. Ela morava em uma cidade um tanto distante mas dentro do mesmo estado que eu moro e a gente começou a papear. Mano, eu garoto incrível! Sério, era maravilhosa demais. Eu vou resumir pra vocês a questão: Eu me assustei com ela, a depressão ainda estava forte e eu não sabia o que tava acontecendo. Por fim eu me afastei dela e e bloqueei no Facebook. Eu sei, sou um tremendo babaca.
Fiquei mais alguns meses na minha vida de merda e fui jogar habbo hotel. Eu sei, eu sei. Coisa de criança mas só queria sentir aquilo que eu sentia novamente quando tinha 11 anos e jogava RPGs no hotel. Não consegui claro. Eu cresci, o mundo mudou e não dá pra voltar a infância. No jogo uma garota conversou comigo, tinha 19 também e me pediu o insta pra conversar. Eu fui e fiz um insta com a intenção de papear um pouco. A partir daqui eu me torno o monstro. De verdade. A garota tinha depressão também e me falava sobre os problemas dela mas também puxada uns assuntos mais sexuais. Não sexuais entre eu e ela, ela só contava como eram as transas dela e eu perguntava uma coisa ou outra sobre as minhas. Eu contava na boa. E os meses foram passando. Eu era um homem quebrado servindo de confidente pra uma garota aleatória da internet.
Eu desbloqueei a garota do começo do ano e voltamos a nos falar. Ela era legal, alegre, bonita e maravilhosa. E ela gostava de mim! Deus do céu ela gostava de mim! Eu também gostava dela. Eu contei algumas mentiras sobre mim pra ela, pra impressionar um pouco mas sempre disse "eu sou um homem quebrado", eu falava que minha cabeça tava toda ferrada o tempo todo pra ela. Ela disse que não se importava e me pedia para ir vê-la na cidade dela. Eu pensava em ir, fazia de tudo para ir... e na última hora eu dava para trás. Não conseguia ir. A minha vida de amar a distância e ser confidente seguiu até o final do ano de 2018. No ano novo eu tomei uma decisão: ia pedir a garota da outra cidade em namoro. Eu pedi e ela aceitou. Ok, vão me chamar de gado e tudo bem. Eu estava na casa de praia que minha mãe tinha comprado e pretendia visitar a garota assim que voltasse.
Quando voltei veio a notícia: Eu tinha conseguido a vaga em gastronomia! Era a porra do meu sonho ali! Fui correr atrás de documentos, matrícula, uniforme e material. Nisso passou algumas semanas e como não fui ver a garota ela terminou comigo e me falou que eu tava fazendo ela de trouxa de novo (ela sentia que eu tinha feito ela de trouxa em 2018 inteiro). Depois de uma semana ela veio falar comigo e minhas aulas já estavam começando. Demorei um mês para conseguir ir vê-la e quando cheguei lá... Ela era divina. Maravilhosa. Eu tive que esperar ela na rodoviária e pensei que tinha caído em alguma pegadinha kkkkk mas ela veio e eu fiquei muito feliz. A gente foi no shopping, assistiu um filme e ela me convenceu a passar a noite na casa dela. Dormir na sala claro, os pais dela concordaram. Não vou mentir: agi cono um idiota nesse dia. A depressão e a irritabilidade me faziam ser muito imbecil e babaca (eu me envergonho e me arrependo muito disso hoje).
Bom, nessa época não estávamos namorando e eu dizia que não ia pedir ela em namoro (tava com orgulho ferido por ela ter terminado comigo). Um dia ela me falou tava com dor e ficou o dia todo sem me responder mais. Mano, eu morri de preocupação! Fiquei desesperado. Quando ela finalmente leu minhas mensagens eu pedi ela em namoro. Joguei o orgulho de lado e pedi em namoro a mulher que eu amava. Bem, Eu fui ver ela mais vezes, no aniversário de 17 dela e outros. Enfim, seguindo adiante.
Bom, lembra da mina da internet? Então. A gente continuava conversando sempre mas ela tava cada vez mais deprimida e mais dependente emocionalmente de mim. Ela me contava as coisas e eu só ouvia agora, ela falava bastante de sexo e afins. Sei que era errado com minha namorada mas é aí que entra a Melissa na história: foi nisso que a morte dela me afetou, eu não conseguia deixar outra pessoa na mão. Eu sei como a depressão dói, como família pode ser tóxica para nós e não conseguia deixar ela de lado. Eu errei e fui fraco e deixei a situação continuar assim. Um dia o Instagram dessa garota foi hackeado e ela achou que foi eu por algum motivo. Ela foi atrás da minha namorada, que eu já tinha dito o nome, e falou que eu namorava ela virtualmente, eu era um perseguidor e não sei mais o que. Eu realmente não sei tudo que ela disse. Eu expliquei pra minha namorada e tudo mais, que era por causa da depressão da garota e que eu não conseguia deixar de lado. Disso que não tinha nada com ela. Bom, eu não estou me justificando e minha namorada terminou comigo. Com razão ela. Eu fui um idiota, um merda, um babaca completo.
Eu implorei muito uma chance e tals e por fim ela me perdoou. Não voltou a como era antes mas me perdoou. Tá ficando muito grande então vou resumir essa parte. Eu fiz merda de novo.
Tinha uma amiga do Rio de Janeiro que gosta de flertar e mesmo eu não dando abertura ela falou que queria transar comigo na praia tomando vinho. Eu cortei esse papo e tals. Numa outra conversa eu tava falando merda, contando vantagem como homem idiota costuma fazer. Falei que tinha pego várias garotas de um outro curso da minha faculdade (mentira que homem conta) para essa amiga. Bom, minha namorada viajou comigo e olhou minhas conversas no celular enquanto eu dormia. Aí ela terminou comigo de vez no começo do ano passado.
Eu sei, a culpa é minha e só minha. Não vou justificar essas atitudes com minhas doenças ou algo do tipo. Erro só meu. Eu expliquei pra minha ex namorada e pedi a ela pra poder tentar reconquistar ela. Ela concordou e eu fiquei tentando, mostrando que podia ser mais atencioso e que podia mudar. Ela começou a ficar com um carinha e eu com uma mina,mas eu continuava tentando e ela me deixava tentar. Uma dia ela decidiu que não era mais pra eu tentar, que me amava mas que não valia mais a pena. Eu queria continuar tentando. Discutimos muito mas eu por fim aceitei.
Ela quis manter a amizade e eu concordei. Só que meu conceito de amizade e o dela diferem muito e isso causa muitos atritos. Ela disse que não me ama mais, algumas atitudes dela me dizem que ela ama (eu li diversos livros de psicologia e sobre relacionamento e eles apontam as atitudes dela como amor). A última coisa que aconteceu foi uma que me magoou de um jeito estranho.
A poucos dias eu tive um desmaio (tenho algumas problemas de saúde) e cai da laje da minha casa. Quebrei um braço e tals. Quando postei nos stories de whats que tava quebrado ela perguntou se eu tinha sido atropelado e eu falei que não, que cai da laje. Ela fez uma brincadeira dizendo basicamente "podia ter morrido né" só que desejando minha morte. Eu sei que foi uma brincadeira mas me doeu muito. Pq ela sabe que já tentei me matar 15 vezes, inclusive uma esse ano. Eu esqueci de contar lá em cima mas minha melancolia foi embora. Eu tô meio que curado disso e tô sentindo prazer em viver de novo. Ela fez essa brincadeira e me doeu demais, demais mesmo. Eu falei pra ela algumas merdas e ela me chamou de dramático (ela diz isso sempre que eu reclamo de algo, talvez eu seja mesmo) e isso doeu ainda mais. Eu sinto que toda vez que reclamo com ela sobre como as atitudes dela me machucam ela me chama de dramático e menospreza minha dor.
Esse ano ela veio me falar que tava com princípio de depressão e eu conversava com ela sempre que ela precisava, eu só precisei conversar uma vez e ela disse que não queria conversar. Bom, eu me senti mal com isso. Foi ali que vi que nossos padrões de amizade são diferentes.
Enfim, essa última brincadeira que me matou. Vocês vão perguntar pq a gente não se bloqueia e se esquece. A resposta é: eu não sei. Eu sei que amo muito ela e acredito que ela me ama. Depois da briga ela me bloqueou e horas depois me desbloqueou (mas excluiu meu número segundo ela). Eu queria alguns conselhos, opiniões e que analisem a minha história e me digam o que pensam sobre tudo. Sobre tudo mesmo!por favor, ajudem esse idiota que fez tudo errado na vida
submitted by lysguil to desabafos [link] [comments]


2020.06.04 19:02 lysguil Preciso de um conselho ou dois

Oi galera, eu queria pedir um conselho para vocês. É em relação a relacionamento e agradeço a quem puder me ajudar nessa, tá foda.
Primeiro me deixem contar algumas coisas sobre mim, isso pode ajudar a entender algumas das minhas ações. Isso não me exime de culpa, sei disso e não vou usar nada disso para me fazer de vítima ou pra me eximir de responsabilidades. Sei que a culpa foi toda minha.
Primeiro de tudo eu não sou um neurotipico. Não tenho autismo mas, embora minha família (meu pai mais precisamente) não tenha deixado que um diagnóstico fosse feito, ficou claro para todos desde criança que eu tinha algo. Eu odeio do fundo do coração o barulho. Odeio sons altos em geral, isso inclui música e por isso não consigo ficar muito tempo em festas. Para aguentar ficar em ambientes barulhentos eu preciso ficar bêbado e ainda assim é bastante incômodo.
A segunda coisa para se saber sobre mim é que sofri abuso sexual na infância. Foram duas mulheres diferentes, nenhuma delas da minha família. Nunca contei pra minha família e acho que nunca irei contar. Bom, não sei dizer como me sinto sobre isso. Acho que minha tara sexual tem a ver com isso. As vezes eu choro quando me lembro mas não sinto anda sobre. É normal isso? Enfim, eu não sei pq quanto isso me afetou. Sofri abuso até os 11 anos e para ser honesto, como homem eu não consigo falar sobre o que a segunda mulher fez comigo. É humilhante demais. Vou morrer e levar isso para o túmulo.
A terceira coisa que preciso contar é que fui diagnosticado com depressão ao 13 anos de idade. Eu era pequeno, magricelo e esquisito. Gostava de cards do Yu gi oh e fixar isolado na biblioteca da escola (Pq era um lugar silencioso), então da pra imaginar quanto bullying eu sofria. Enfim, a depressão me deixou quebrado e teve seus picos. Nessa época tive minha primeira tentativa de suicídio. Minha família nunca soube. No dia seguinte ainda fui pra escola, como se nada tivesse acontecido. Essa foi a primeira de uma série de tentativas.
Agora que já falei essas características eu vou começar a falar meu problema, peço perdão se ficar muito longo. Aos 16 anos eu tive uma namorada e ela morreu de câncer. Isso piorou meu quadro depressivo, eu fiquei agressivo e aprendi a resolver as coisas com violência. Tentei me matar mais algumas vezes e tava foda. Eu tomava tantos remédios para a depressão que ficava grogue, totalmente dopado meio hora depois de tomar. Minha mãe me fez parar, com o apoio da minha vó. Eu estava começando a superar a coisa quando minha vó, a pessoa que eu mais amava na vida, faleceu subitamente. Deus, acho que eu... Bom eu nem sei dizer o que eu sentia. Simplesmente não sei. Doeu mais do que tudo. Depois desse dia eu não conseguia chorar, não conseguia sentir. Fiquei anestesiado sabe? Meu psiquiatra falou UE eu estava num estado de "melancolia", onde eu não conseguia mais sentir felicidade. Eu poderia ficar alegre ou coisas do tipo mas verdadeira felicidade era impossível. Bom, foi foda. Eu tinha 17 na época.
Fiz amizade com uma garota aos 16, Melissa, ela fazia terapia em grupo comigo. Era meio patricinha mimada mas uma boa pessoa. A gente conversava e diziamos nossos planos um pro outro. Ela me ajudou a superar a barra da terapia. Quando eu tinha 18 e ainda estava sentindo o impacto da perda da minha vó, essa garota se matou. No mesmo dia ela pediu pra conversar comigo e eu não estava em casa para conversar (nos falávamos pelo facebook). Eu só fui saber sobre pelas postagens no Facebook dela. Eu não senti nada na hora, achei que não tinha em afetado, anos depois eu ia perceber o quanto me afetou.
Bom, eu segui minha vida. Comecei a faculdade de direito, minha mãe queria um filho juiz e eu tava no piloto automático. Só fui seguindo. Fiz pouco tempo do curso de direito e realmente não era pra mim. No começo de 2018 eu conheci uma garota pela internet. Ela tinha 15 e eu 19. Ela morava em uma cidade um tanto distante mas dentro do mesmo estado que eu moro e a gente começou a papear. Mano, eu garoto incrível! Sério, era maravilhosa demais. Eu vou resumir pra vocês a questão: Eu me assustei com ela, a depressão ainda estava forte e eu não sabia o que tava acontecendo. Por fim eu me afastei dela e e bloqueei no Facebook. Eu sei, sou um tremendo babaca.
Fiquei mais alguns meses na minha vida de merda e fui jogar habbo hotel. Eu sei, eu sei. Coisa de criança mas só queria sentir aquilo que eu sentia novamente quando tinha 11 anos e jogava RPGs no hotel. Não consegui claro. Eu cresci, o mundo mudou e não dá pra voltar a infância. No jogo uma garota conversou comigo, tinha 19 também e me pediu o insta pra conversar. Eu fui e fiz um insta com a intenção de papear um pouco. A partir daqui eu me torno o monstro. De verdade. A garota tinha depressão também e me falava sobre os problemas dela mas também puxada uns assuntos mais sexuais. Não sexuais entre eu e ela, ela só contava como eram as transas dela e eu perguntava uma coisa ou outra sobre as minhas. Eu contava na boa. E os meses foram passando. Eu era um homem quebrado servindo de confidente pra uma garota aleatória da internet.
Eu desbloqueei a garota do começo do ano e voltamos a nos falar. Ela era legal, alegre, bonita e maravilhosa. E ela gostava de mim! Deus do céu ela gostava de mim! Eu também gostava dela. Eu contei algumas mentiras sobre mim pra ela, pra impressionar um pouco mas sempre disse "eu sou um homem quebrado", eu falava que minha cabeça tava toda ferrada o tempo todo pra ela. Ela disse que não se importava e me pedia para ir vê-la na cidade dela. Eu pensava em ir, fazia de tudo para ir... e na última hora eu dava para trás. Não conseguia ir. A minha vida de amar a distância e ser confidente seguiu até o final do ano de 2018. No ano novo eu tomei uma decisão: ia pedir a garota da outra cidade em namoro. Eu pedi e ela aceitou. Ok, vão me chamar de gado e tudo bem. Eu estava na casa de praia que minha mãe tinha comprado e pretendia visitar a garota assim que voltasse.
Quando voltei veio a notícia: Eu tinha conseguido a vaga em gastronomia! Era a porra do meu sonho ali! Fui correr atrás de documentos, matrícula, uniforme e material. Nisso passou algumas semanas e como não fui ver a garota ela terminou comigo e me falou que eu tava fazendo ela de trouxa de novo (ela sentia que eu tinha feito ela de trouxa em 2018 inteiro). Depois de uma semana ela veio falar comigo e minhas aulas já estavam começando. Demorei um mês para conseguir ir vê-la e quando cheguei lá... Ela era divina. Maravilhosa. Eu tive que esperar ela na rodoviária e pensei que tinha caído em alguma pegadinha kkkkk mas ela veio e eu fiquei muito feliz. A gente foi no shopping, assistiu um filme e ela me convenceu a passar a noite na casa dela. Dormir na sala claro, os pais dela concordaram. Não vou mentir: agi cono um idiota nesse dia. A depressão e a irritabilidade me faziam ser muito imbecil e babaca (eu me envergonho e me arrependo muito disso hoje).
Bom, nessa época não estávamos namorando e eu dizia que não ia pedir ela em namoro (tava com orgulho ferido por ela ter terminado comigo). Um dia ela me falou tava com dor e ficou o dia todo sem me responder mais. Mano, eu morri de preocupação! Fiquei desesperado. Quando ela finalmente leu minhas mensagens eu pedi ela em namoro. Joguei o orgulho de lado e pedi em namoro a mulher que eu amava. Bem, Eu fui ver ela mais vezes, no aniversário de 17 dela e outros. Enfim, seguindo adiante.
Bom, lembra da mina da internet? Então. A gente continuava conversando sempre mas ela tava cada vez mais deprimida e mais dependente emocionalmente de mim. Ela me contava as coisas e eu só ouvia agora, ela falava bastante de sexo e afins. Sei que era errado com minha namorada mas é aí que entra a Melissa na história: foi nisso que a morte dela me afetou, eu não conseguia deixar outra pessoa na mão. Eu sei como a depressão dói, como família pode ser tóxica para nós e não conseguia deixar ela de lado. Eu errei e fui fraco e deixei a situação continuar assim. Um dia o Instagram dessa garota foi hackeado e ela achou que foi eu por algum motivo. Ela foi atrás da minha namorada, que eu já tinha dito o nome, e falou que eu namorava ela virtualmente, eu era um perseguidor e não sei mais o que. Eu realmente não sei tudo que ela disse. Eu expliquei pra minha namorada e tudo mais, que era por causa da depressão da garota e que eu não conseguia deixar de lado. Disso que não tinha nada com ela. Bom, eu não estou me justificando e minha namorada terminou comigo. Com razão ela. Eu fui um idiota, um merda, um babaca completo.
Eu implorei muito uma chance e tals e por fim ela me perdoou. Não voltou a como era antes mas me perdoou. Tá ficando muito grande então vou resumir essa parte. Eu fiz merda de novo.
Tinha uma amiga do Rio de Janeiro que gosta de flertar e mesmo eu não dando abertura ela falou que queria transar comigo na praia tomando vinho. Eu cortei esse papo e tals. Numa outra conversa eu tava falando merda, contando vantagem como homem idiota costuma fazer. Falei que tinha pego várias garotas de um outro curso da minha faculdade (mentira que homem conta) para essa amiga. Bom, minha namorada viajou comigo e olhou minhas conversas no celular enquanto eu dormia. Aí ela terminou comigo de vez no começo do ano passado.
Eu sei, a culpa é minha e só minha. Não vou justificar essas atitudes com minhas doenças ou algo do tipo. Erro só meu. Eu expliquei pra minha ex namorada e pedi a ela pra poder tentar reconquistar ela. Ela concordou e eu fiquei tentando, mostrando que podia ser mais atencioso e que podia mudar. Ela começou a ficar com um carinha e eu com uma mina,mas eu continuava tentando e ela me deixava tentar. Uma dia ela decidiu que não era mais pra eu tentar, que me amava mas que não valia mais a pena. Eu queria continuar tentando. Discutimos muito mas eu por fim aceitei.
Ela quis manter a amizade e eu concordei. Só que meu conceito de amizade e o dela diferem muito e isso causa muitos atritos. Ela disse que não me ama mais, algumas atitudes dela me dizem que ela ama (eu li diversos livros de psicologia e sobre relacionamento e eles apontam as atitudes dela como amor). A última coisa que aconteceu foi uma que me magoou de um jeito estranho.
A poucos dias eu tive um desmaio (tenho algumas problemas de saúde) e cai da laje da minha casa. Quebrei um braço e tals. Quando postei nos stories de whats que tava quebrado ela perguntou se eu tinha sido atropelado e eu falei que não, que cai da laje. Ela fez uma brincadeira dizendo basicamente "podia ter morrido né" só que desejando minha morte. Eu sei que foi uma brincadeira mas me doeu muito. Pq ela sabe que já tentei me matar 15 vezes, inclusive uma esse ano. Eu esqueci de contar lá em cima mas minha melancolia foi embora. Eu tô meio que curado disso e tô sentindo prazer em viver de novo. Ela fez essa brincadeira e me doeu demais, demais mesmo. Eu falei pra ela algumas merdas e ela me chamou de dramático (ela diz isso sempre que eu reclamo de algo, talvez eu seja mesmo) e isso doeu ainda mais. Eu sinto que toda vez que reclamo com ela sobre como as atitudes dela me machucam ela me chama de dramático e menospreza minha dor.
Esse ano ela veio me falar que tava com princípio de depressão e eu conversava com ela sempre que ela precisava, eu só precisei conversar uma vez e ela disse que não queria conversar. Bom, eu me senti mal com isso. Foi ali que vi que nossos padrões de amizade são diferentes.
Enfim, essa última brincadeira que me matou. Vocês vão perguntar pq a gente não se bloqueia e se esquece. A resposta é: eu não sei. Eu sei que amo muito ela e acredito que ela me ama. Depois da briga ela me bloqueou e horas depois me desbloqueou (mas excluiu meu número segundo ela). Eu queria alguns conselhos, opiniões e que analisem a minha história e me digam o que pensam sobre tudo. Sobre tudo mesmo!por favor, ajudem esse idiota que fez tudo errado na vida
submitted by lysguil to brasilivre [link] [comments]


2020.05.27 08:01 jotaporque primeiro amor verdadeiro, namorada, e relação sexual...

Meus caros, venho aqui na tentativa de não chorar contar brevemente o que estou passando.
Eu namorei uma garota por 1 ano e 3 meses, sendo que somente 7 meses depois de nos conhecermos ela falou para os pais, ela sempre quis manter isso discreto durante esse tempo, nao podíamos segurar muito a mão na rua, ficar em lugares muito abertos, eu só via ela uma vez por semana e as vezes nem isso, pois sempre que os país saiam ou ela tinha um compromisso ela ia e eu ficava só, a nao ser em uma festinha, quermesse, etc. Porém detalhe, ela só contou para os pais dela após ela terminar comigo dizendo que nao era uma pessoa pra namorar, mas mesmo assim me amava, e 1 semana depois veio atras de mim pedindo pra voltar alegando que nao via a sua vida sem mim, etc, obviamente eu apaixonado, voltei e namoramos "normalmente" após isso; ao mesmo tempo quero ressaltar que eu fui bastante insistente neste tempo pedindo para ela contar para os pais, eu coloquei um pouco de pressao, estava doido pra namorar de verdade com ela, não fiz por mal.
Sempre fui romântico clichê, fofo, um toque de melosidade, e eloquente no modo de tratá-la, havia um brilho nos meus olhos quando olhava, porém eu nunca vi o mesmo brilho em seus olhos, tenho a impressao de que ela nao conseguia nem olhar por 1 mimuto em mim sem desviar o olhar. Ela desde o começo falava para eu não fazer dela o meu mundo, porém eu fiz, pois ela sofria com baixa autoestima, inseguranças, medo, e eu sempre apoiei (durante aqueles 7 meses) e dei 100% de mim à ela.
Enfim, depois do primeiro término eu percebi que ela era uma pessoa extremamente orgulhosa ao ponto de as vezes só pedir desculpas quando eu pedia também, nao somente isso como eu tinha que pedir pra ela dar desculpas também. Percebi que ela não me priorizava quanto eu priorizava ela, eu nunca deixei de ficar uma semana por compromisso ou rolê meu, até com meus pais eu chegava a desmarcar, que numa discussão ela quando ficava estressada simplesmente sumia e me deixava de mãos abanando querendo resolver o problema, até eu pedir desculpas, e no maximo se eu desse gelo ela falava "vai ficar por isso mesmo?". Percebi que ela menozpresava meus sonhos, e que em quase todas as situações acima ela falava uma das 3 coisas como justificativa, que eu estava impondo e ela nao gostava disso, que eu estava jogando na cara erros do passado, e erros em geral, e que eu estava querendo mandar ou mudar ela, e falava "esse é o meu jeito".
E é ai que começei a pedir para ela mudar (na verdade até antes pedia mas nao era tanto motivo de briga assim, enfim, daí o motivo das brigas), e ela mudou do começo para este ponto, pois começou a fazer o mínimo, que seria demonstrar, mas ainda sim pedia pra ela ser mais recíproca, pra ela me escutar mais, me respeitar mais (houve uma vez que ela falou na minha cara que nao se sentia protegida por mim), pra ela me priorizar mais, pra ela parar de ser orgulhosa, enfim eu forcei a barra nesses quesitos, mas era por que eu me sentia infeliz com as atitudes dela em relação à mim, e como eu amava muito ela e estava apaixonado sentindo uma coisa indescritível, uma paz, não queria perder ela. Quero ressaltar que depois de todas as brigas, conversávamos pessoalmente, e ela chorava e dizia que iria mudar e que nao queria me perder, que me amava e me abraçava, isso quando estavamos a ponto de terminar, dizia que ia mudar, mas não mudava, eu acho que sou muito exigente tambem, não sei ao certo em o quê acreditar.
Eu fiz erros sim, fui realmente mandão, abusivo, chantageador e joguei na cara algumas vezes, fiz mal algumas vezes, mas eu sempre fui bom, toda vez que ia na casa dela eu levava uma florzinha, talvez um chocolate, fazia uma declaração, demonstrava querer ver ela toda semana, todo dia, perguntava do dia, dos planos, eu literalmente caçava ela. Portanto acho que meus erros foram, idealizar, amar e querer ser amado e cobrar demais, assim me demonstrei frágil, desgastei, cansei.
Bom para finalizar a ópera, eu não sei como terminar, só sei dizer que têm 2 meses que terminamos, ela fazia coisas por mim também, mas só em datas comemorativas como mês-versario de namoro, meu aniversário, ou quando fomos a praia juntos. Eu não sei em o que acreditar, se ela me amou, ou nao amou tanto que eu pensei, ou não me amou de verdade.
O termino ocorreu de forma muito ruim, 2 semanas antes do término tinhamos ficados 2 semanas sem se ver, por que ela ia em uma festa com a familia e uma formatura, e eu na minha rotina, numa terça tive que dar um puta corre para podermos se ver, comprei vinho barato, foi um super dia legal. Porém depois eu iniciei a discussão, sobre ficar 2 semanas sem se ver, que a minha rotina é apertada, propus nos vermos de semana, e o fim de semana ela tava livre pra ir com os pais (o que custava me chamar para ir junto? ou não ir uma vez ou outra? formaturau até entendo, pois era do melhor amigo dela), ela resistiu como sempre, falou e falei coisas que não lembro, só lembro que ficamos 2 dias discutindo e inclusive fizemos 1 ano e 3 meses discutindo, e ela falou "olha essa discussao tá apontando pra uma coisa e você sabe qual é", e eu lembro que prometi pra mim mesmo que a próxima vez que ela me ameaçasse de término ou que chegasse num ponto de quase, que eu iria terminar, dito e feito, terminei alegando nossas diferenças como principal ponto.
3 dias depois ela tentou voltar comigo falando para mudar por definitivo, eu falei que deveriamos esperar para o "dia da conversa" para decidir nosso futuro, porém numa terça ela me chama e fala que quer decidir já, eu falei que achava melhor continuar assim, entre outras coisas, ela nem relutou, não falou nada, só falou "concordo contigo". O ponto é que uns 3 dias depois eu mudei minha opinião e tentei voltar, ela falou que não, que não quer mudar, que nao queria passar por tudo aquilo de novo, tentamos manter contato depois disso mas só lembro que falamos coisas muito ruins uns para os outros, inclusive ela falou que eu destrui o pscioclogico dela com proibições (sendo que eu nunca proibi de nada), cobranças (okay, isso talvez mas eram coisas tão simples, eu acho), e comentários (eu nunca falei mal dela, nem de qualquer modo no relacionamento), e eventualmente paramos de nos falar em questão de 1 semana e meia. Foi quando eu descobri que 2 semanas após o término ela já estava falando de namoro com uma pessoa numa rede social (eu tinha bloqueado ela), e que inclusive postou seu número de celular no meio da rede social, fiquei insano e descarreguei muito ódio e energia ruim nela, mas não xinguei, e também pedi todos os presentes que dei pra ela de volta, até de aniversário, a aliança, o potinho com coisas fofas, uma meia, tudo, peguei todas as roupas que ela me deu e devolvi também. Enfim ela me bloqueou, peguei as coisas de volta, coloquei em um saco as coisas que eu dei pra ela e as coisas que ela me deu (potinho, desenho meu, etc) e martelei tudo e postei em um status. Após isso me senti muito mal, pedi desculpas à ela, e até agora nao nos falamos mais, inclusive estou até namorando uma menina nova, pois já que ela estava com papo torto, eu também decidi estar, e o meu deu certo aparentemente, mas não 2 semanas depois.
Desculpem o texto longo, mas eu não sei o que sentir, ao mesmo tempo me sinto culpado por ter desgastado ela pedindo, manipulado (por sexo, o qual nos dávamos muito bem, e mentalmente), não amado, que vivi uma mentira, remorso, ódio, amor, perdão, hipócrita, sujo, que coloquei muita expectativa, que na verdade estava tudo bem e eu estava problematizando e reclamando de tudo, eu só queria a mesma intensidade que eu estava tratando ela.
Eu não sou uma pessoa ruim, sempre tentei ser a melhor versão de mim, me deixa muito mal ver que tive determinada reaçao, atitude, não quero ser odiado pela pessoa que mais amei, só queria ser feliz. Mas ao mesmo tempo fico mal de ver que fui tratado mal e não recebi o que eu merecia.
Eu estava tão apaixonado, e eu simplesmente nunca consegui saber ao certo se ela também estava da mesma forma com o fogo dentro de si, levando a sério o namoro e pensando junto comigo, talvez por puro orgulho, mas nem isso eu tenho como saber direito pois aparentemente ela não se conhece tão bem quanto eu a conheço.
Quero poder um dia chamar ela na praça, e simplesmente dar, e receber o perdão, deixar as coisas bem resolvidas, talvez, tentar de novo com uma cabeça mais madura, um abraço reconfortante, um beijo longo, um olhar fixo, sem ódio ou amargura, nunca fui de fazer mal à alguém.
De uma coisa eu tenho certeza, eu senti, todos os sentimentos possíveis com alguém, um caminhão de sensações passou por mim, não sei se foi a mesma coisa com ela.
Quem leu até aqui muito obrigado, eu sou novo no reddit e ao escrever esse texto eu estou melhor, coloquei um pouco meus pensamentos e indagações em ordem.
submitted by jotaporque to desabafos [link] [comments]


2020.05.27 02:38 macakikah hoje eu tô me permitindo sofrer só pra entender que me livrei de um relacionamento abusivo

É meu primeiro post no Reddit. Faz quase um ano que meu ex-namorado terminou comigo e sumiu sem dar maiores explicações, um ghosting dos mais pesados que eu já levei. Entrei em depressão e sofri com ansiedade depois disso, me recuperei depois de meses de terapia e medicação, mas hoje entrei no assunto com uma colega de trabalho, parte de tudo isso veio à tona e me deixou meio melancólica. As emoções ainda ficam meio à flor da pele quando eu lembro de tudo o que eu passei, mas hoje eu percebo que era um relacionamento abusivo e me dei conta depois que eu saí dele, por motivos óbvios. Ainda sofro com parte das consequências desse relacionamento, mas tô madura o suficiente pra entender que nada do que deu errado foi culpa minha. Vou me permitir sofrer só hoje pra ter consciência que eu me livrei de uma barra pesada, de um namoro que tava me levando ao fundo do poço e que eu só não pude sair antes porque eu não conseguia enxergar o quanto aquilo tava me sugando.
Ainda vou dar orgulho para o meu psicólogo.
submitted by macakikah to desabafos [link] [comments]


Orgulho de salvador e camaçari Não deixe o ORGULHO matar o seu relacionamento - TAMIRES HEREDIA O primeiro encontro mais lindo do mundo! Namoro à ... Pati Papo: Velhice e Orgulho Orgulho - Série Excelência Emocional - Eu Escolhi Esperar ... Amor próprio, orgulho, desculpas e etc QUANDO O ORGULHO CALA O AMOR ( reflexão sobre o amor ... LEANDRO KARNAL - Amor,orgulho,vaidade... - YouTube COMO NAMORAR UMA MULHER NO ARMÁRIO NÃO ASSUMIDA?  #OrgulhoLGBT É orgulho ou a pessoa não gosta mais de mim?

Namoros melosos demais – O MANUAL DO BOM ... - Orgulho Hater

  1. Orgulho de salvador e camaçari
  2. Não deixe o ORGULHO matar o seu relacionamento - TAMIRES HEREDIA
  3. O primeiro encontro mais lindo do mundo! Namoro à ...
  4. Pati Papo: Velhice e Orgulho
  5. Orgulho - Série Excelência Emocional - Eu Escolhi Esperar ...
  6. Amor próprio, orgulho, desculpas e etc
  7. QUANDO O ORGULHO CALA O AMOR ( reflexão sobre o amor ...
  8. LEANDRO KARNAL - Amor,orgulho,vaidade... - YouTube
  9. COMO NAMORAR UMA MULHER NO ARMÁRIO NÃO ASSUMIDA? #OrgulhoLGBT
  10. É orgulho ou a pessoa não gosta mais de mim?

Leandro Karnal é professor Doutor na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) , desde 1996. Graduado em História pela Universidade do Vale do Rio dos Sino... Você é assumida, mas sua namorada ainda não. Muita gente acha que isso por si só já uma condenação pra esse namoro e que não tem a menor possibilidade de ele dar certo, mas calma. Nós já ... Eu tenho 13 anos amo conzinha e estudar. E brinca tenho horario pra tudo. Notas boas na escola titulo de melhor aluna de melhor filha e melhor comportamento no bairro. Diga ñ as drogas diga ñ o ... Amor próprio, orgulho, desculpas e etc Brendha Crizel. Loading... Unsubscribe from Brendha Crizel? ... FIM DE NAMORO, COMO SUPERAR E AMOR PRÓPRIO! - Duration: 19:13. Como o orgulho pode atrapalhar nossos relacionamentos? Não seja orgulhoso e compartilhe o vídeo com os amigos. Conheça nossa loja: http://lj.eee.vc Participe... Meu novo livro TEU AMOR-PRÓPRIO TE SALVOU: www.andremassolini.com.br Gravação Privada: https://youtu.be/t7Quz2M0YQw E-MAIL: [email protected] FAC... Oi minha gente! Por que a gente sempre deixa o orgulho tirar tempos agradáveis do nosso relacionamento/casamento? Compartilha comigo o que você acha sobre o ... siga a nossa fanpage https://www.facebook.com/Studio-Gilson-SOUZA-Produ%C3%A7%C3%B5es-1897623807191839/?notif_id=1514568321425521¬if_t=page_fan&ref=notif ... (English subtitles)Voce quer me mandar algo? agora voce pode! Endereço no Brasil: Rua Santa Edwiges nº 158 A Bairro: Teodoro Condé Cidade:Ressaquinha - MG CE... Antes de desistir de começar um aprendizado, veja bem se o que falta é tempo ou definir prioridades. Se sua prioridade é envelhecer na frente da TV, eu pensa...